Nesta quarta-feira (15), a Associação Empresarial de Joinville (Acij) realizou a terceira edição do NISE (Núcleo de Inteligência e Segurança Empresarial) Talks 3, no Ágora Tech Park. O terceiro painel do evento trabalhou sobre a gestão de crise para manutenção da ordem pública, abordando a crise natural no Rio Grande do Sul.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Joinville e região no WhatsApp

O Coronel Márcio Leandro Reisdorfer da Polícia Militar de Joinville, responsável pelo painel Gerenciamento de Crises para a Manutenção da Ordem Pública, discutiu sobre o auxílio prestado pela polícia de Joinville ao Rio Grande do Sul.

— A Polícia Militar faz a gestão de crise para restabelecer a tranquilidade pública, atuar na solidariedade e também na segurança. Nós estamos nesse momento, por ordem do comando da Polícia Militar em Florianópolis, enviando tropas aqui de Joinville para atuar no restabelecimento da ordem pública em Porto Alegre. Queremos ser uma instituição confiável, inclusive em crise. A população tendo ideia da capacidade da polícia já nos ajuda muito — destaca Reisdorfer.

Veja fotos do evento:

Continua depois da publicidade

Em sua apresentação durante o último painel do evento (Metodologia para o desenvolvimento do Gerenciamento Inteligente de Crises), Alex Massia Canal, vice-presidente do NISE e gerente sênior de Segurança Corporativa na NIDEC, também comentou sobre a gestão de crise em desastres naturais.

— Nós temos que trabalhar na prevenção e, principalmente, na reflexão das pessoas. A população tem que ser informada de como se fortalecer. Na sexta etapa do planejamento de risco está a aprendizagem. Você tem que instruir as pessoas ao que fazer e o que não fazer — relata Alex.

NISE lota auditório do Ágora Tech Park

O NISE Talks 3 se dedica a melhorar o desenvolvimento de segurança empresarial, pública e tecnológica das empresas. Em sua terceira edição,  trabalhou questões de crises no meio cibernético, manutenção da ordem e o gerenciamento inteligente de crises.

— Nós tivemos uma demanda muito grande, tivemos que abrir mais 20 lugares. Isso para nós é motivo de orgulho, porque as pessoas estão querendo debater e refletir sobre o gerenciamento de crise — explica Alex.

Continua depois da publicidade

Segundo Ana Lúcia Alves, presidenta do NISE, elaborar um evento de gestão de risco é fundamental para oportunizar às pessoas para que elas possam se preparar para todos os tipos de crise.

— Você precisa pensar e estar preparado para, quando a crise chegar, saber tomar as medidas adequadas para solucionar o problema no menor tempo possível — avalia Ana.

Leia também

Semana de Conscientização e Orientação sobre a Saúde Mental é promovida na Univille

Joinville “adota” cidade gaúcha e envia força-tarefa para ajudar região alagada

Professor explica como a preservação dos mangues pode evitar enchentes em Joinville

Destaques do NSC Total