nsc
    dc

    Reabilitação

    Pinguim-de-magalhães recebe pele sintética para tratar corte na cabeça em Florianópolis

    Ave foi resgatada ferida em agosto, em Laguna

    22/11/2019 - 14h55

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    pinguim
    Tratamento é feito por equipes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e da Associação R3 Animal
    (Foto: )

    Um pinguim-de-magalhães está passando por um tratamento em Florianópolis depois de ter sido encontrado com um corte profundo na cabeça. A ave, resgatada no dia 14 de agosto em Laguna, no Sul catarinense, recebeu uma pele artificial para ajudar na cicatrização do ferimento.

    O processo de reabilitação é realizado por equipes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e da Associação R3 Animal, por meio do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

    Conforme os responsáveis pelos cuidados, a musculatura e parte do crânio do animal haviam ficado expostos por conta do corte. Além do processo curativo, a pele sintética ajuda a diminuir a exposição da área e evita a aproximação de insetos nos períodos de calor. Essa é a primeira vez que o procedimento é realizado pelo grupo.

    Depois passar por dez dias de tratamento, o pinguim foi levado pela equipe da Udesc para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM). No local, os cuidados continuam sendo realizados. A ave será levada ao seu habitat natural assim que estiver recuperada.

    Leia também

    Grupo com 250 golfinhos é avistado no Sul de SC em voo para monitorar baleias-francas

    Florianópolis inaugura maior centro de reabilitação de animais marinhos do país

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas