nsc
dc

Ademar Paes Junior

Plano Nacional para a Saúde Digital

Planejamento estrutura as atividades do presente e constrói a fundação para um futuro que busca maior acesso à assistência e a melhoria contínua dos serviços prestados à população.

03/06/2019 - 04h10 - Atualizada em: 17/06/2019 - 09h15

Compartilhe

Por Tech SC
(Foto: )
Ademar
(Foto: )

O Brasil tem um Plano de Ação Integrado que reflete as prioridades nacionais e o contexto de Saúde Digital, especialmente em relação aos seus benefícios para todos os públicos envolvidos: pacientes, médicos, profissionais da área da saúde, gestores e a comunidade. Esse planejamento estrutura as atividades do presente e constrói a fundação para um futuro que busca maior acesso à assistência e a melhoria contínua dos serviços prestados à população. O assunto vem sendo abordado nas últimas colunas no Tech SC, tendo em vista a sua relevância, e se encerra hoje, apresentando a síntese final dos projetos estratégicos e essenciais já em desenvolvimento.

 • Gestão do Conhecimento e Inovação

A Saúde Digital deve contribuir para a coleta, geração e disseminação de conhecimento, bem como colaborar para pesquisa, desenvolvimento e inovação replicáveis, escaláveis e sustentáveis.

• Informatização da Rede de Atenção à Saúde

Essencial para que se alcance a visão de Saúde Digital, fazendo chegar aos pacientes, profissionais e gestores os instrumentos que possam garantir a continuidade da atenção e a melhoria dos serviços de saúde.

• Gestão Compartilhada da Infraestrutura (Tripartite e Saúde Suplementar)

Desenvolvimento dos mecanismos, legislação e práticas para a gestão compartilhada dos recursos de infraestrutura, buscando a sustentabilidade da Saúde Digital, envolvendo o SUS, a Saúde Suplementar e os serviços privados.

• Infraestrutura como Serviço

Desenvolvimento de conceitos, modelos de referência, critérios de segurança e melhores práticas para que a aquisição de serviços de infraestrutura seja regulamentada e se torne simples, segura e acessível.

• Estruturação do Centro de Governança Técnica

Organização das prioridades técnicas da Saúde Digital nas três esferas de governo, na saúde suplementar e na saúde privada, mobilizando recursos para alcançar os objetivos e metas propostas para o país.

• Arquitetura de Saúde Digital para a Atenção Primária

Desfragmenta as iniciativas de serviços e sistemas do Ministério da Saúde, desenha o ecossistema dos serviços e sistemas que perpassam a Atenção Primária e seus relacionamentos com as diversas camadas de serviços assistenciais da saúde.

• Sistemas Prioritários

Identifica e qualifica os sistemas e serviços prioritários para a Saúde Digital no Brasil, para que sejam aprimorados e expandidos, adequando-se às necessidades do país, às novas tecnologias, arquiteturas e a federalização dos barramentos.

• RES – Registro Eletrônico de Saúde

Repositórios de informações relevantes sobre a saúde e bem-estar do paciente, integrados de modo físico ou virtual, com compartilhamento voltado para atender às necessidades do país.

*Ademar Paes Junior é médico radiologista e presidente da ACM

Colunistas