nsc
dc

Pesca irregular

PM ambiental apreende 300 metros de rede ilegal no Oeste de Santa Catarina

Ação foi no lago de Itá, no rio Uruguai

09/02/2020 - 13h45 - Atualizada em: 09/02/2020 - 14h41

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Cerca de 300 metros de rede foram apreendidas no rio Uruguai
Policiais Ambientais apreenderam redes irregulares no lago de Itá, no sábado
(Foto: )

Cerca de 300 metros de redes de pesca com malha inferior à permitida, 500 metros de espinhel (linha com vários anzóis) e quatro covos (espécies de gaiolas) com peixes presos foram apreendidos por uma equipe do 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, no sábado, no lago da Usina Hidrelétrica de Itá, que tem sua barragem no rio Uruguai, entre Itá-SC e Aratiba-RS.

O material foi levado para o quartel de Chapecó, para posterior destruição, e os peixes foram soltos.

Os policiais ambientais orientam que mesmo com o término de algumas restrições relativas ao período de Piracema, época de reprodução de alguns peixes como o dourado, existem outras regras a serem respeitadas como o tamanho da rede, que deve capturar somente peixes adultos, para permitir a reposição da fauna.

No período da Piracema, que foi de 1º de outubro a 31 de janeiro, a Polícia Ambiental apreendeu 6,5 mil metros de redes, 1,2 mil metros de espinhéis e três embarcações. Foram 22 autos de infração para pescadores com cinco termos circunstanciados e três infrações penais.

Polícia Ambiental constata pesca irregular
Covos com peixes presos também foram encontrados no lago de Itá
(Foto: )

O responsável pela pesca irregular está sujeito a multas que variam de R$ 700,00 a R$ 100 mil, dependendo da gravidade da infração, além de processo criminal, que pode levar a detenção de um a três anos.

Colunistas