nsc
hora_de_sc

Leste da Ilha

Polícia Civil investiga desaparecimento de idoso no Campeche, em Florianópolis 

Antônio José da Luz Amaral Filho, 83 anos, foi visto pela última vez próximo ao restaurante e bar Vizu, na Avenida Campeche, no sábado (1) à tarde 

04/06/2019 - 17h37 - Atualizada em: 04/06/2019 - 17h38

Compartilhe

Por Dayane Bazzo
Foto mais recente de seu Amaral divulgada pela família
(Foto: )

A Polícia Civil investiga o desaparecimento de um morador do bairro Agronômica, região central de Florianópolis, que saiu para caminhar na tarde de sábado (1) no Campeche, leste da Ilha, e não voltou mais para casa. Seu Antônio José da Luz Amaral Filho, de 83 anos, foi visto pela última vez próximo ao restaurante e bar Vizu, na Avenida Campeche. Ele vestia calça social cinza escuro, jaqueta cinza claro, camiseta social azul e sapato marrom.

O delegado Wanderley Redondo, da Delegacia Especializada em Pessoas Desaparecidas de Florianópolis, informa que a Polícia Civil fez buscas no local do desaparecimento com o auxílio de cães farejadores da Guarda Municipal na manhã desta terça-feira (4). Segundo o delegado, os cães levaram os policiais até um ponto de ônibus, 100 metros de distância do restaurante, onde seu Amaral foi visto pela última vez.

— Pelo o que se constatou até agora, ele pode ter pegado um ônibus, porque o cachorro seguiu até o ponto e dali não farejou mais — diz.

O delegado já solicitou ao Consórcio Fênix as imagens das câmeras internas dos ônibus que passaram pela região na tarde de sábado. Ele acredita que terá acesso a esse conteúdo até esta quarta-feira (5) para, então, prosseguir com a investigação.

— O fundamental é a gente conseguir as imagens para traçarmos um caminho, saber se ele desceu em algum ponto próximo, se foi até o centro ou outro local. Mas o importante também é a divulgação, pois ele pode ter perdido a memória e alguém ter acolhido — comenta o delegado.

Seu Amaral estava usando esta jaqueta no dia em que desapareceu
(Foto: )

Gosta de passear pela cidade, diz família

Antônio Amaral Neto, 54 anos, filho de seu Amaral, conta que o pai almoçou com a família no restaurante Vizu, que fica na Avenida Campeche, 710, tirou um cochilo e saiu para caminhar por volta das 15h nas proximidades do estabelecimento. Segundo ele, o pai costumava sair sozinho para dar uma volta e até andar de ônibus para conhecer novos lugares. No entanto, ele não retornou ao restaurante e não apareceu em casa, na Agronômica, onde mora com o filho e a nora.

De acordo com a família, seu Amaral apresentava alguns lapsos de memória em decorrência da idade e uso de medicamento contínuo, mas nunca foi de deixar de avisar os parentes sobre seus passeios, muito menos ficou sem voltar para casa.

A família registrou boletim de ocorrência na manhã de domingo (2), um dia após o desaparecimento e pedem que se alguém tiver informações sobre o paradeiro de seu Amaral, que avise a polícia. O telefone da Polícia Militar é o 190, Delegacia de Desaparecidos é o 181 ou (48) 3665-5595.

— Solicitamos que se alguém avistar ele, que ligue para a polícia e não divulgue nas redes sociais ou mande mensagem pra gente, porque estamos recebendo muitas mensagens e postagens que não se confirmam e isso só piora a situação — pede.

Colunistas