nsc
an

Hospital

Polícia investiga possível erro médico na morte de menino de um ano em Jaraguá do Sul

O pequeno Benjamin Serenini morreu após uma perfuração no pulmão em um procedimento de substituição de sonda

28/06/2021 - 16h11 - Atualizada em: 28/06/2021 - 16h51

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Benjamin tinha um ano e dois meses
Benjamin tinha um ano e dois meses
(Foto: )

A Polícia Civil está investigando uma denúncia de erro médico que teria causado a morte de um menino de um ano e dois meses em Jaraguá do Sul. A família do pequeno Benjamin Serenini procurou a polícia e o caso está com a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI). Um inquérito foi aberto e as primeiras perícias já ocorreram.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Benjamin estava internado no Hospital e Maternidade Jaraguá, onde ele costumava ser atendido para procedimentos de substituição da sonda utilizada para alimentação. O menino nasceu com uma série de malformações congênitas que afetavam a capacidade dele se alimentar e respirar. A família de Jaraguá do Sul ia frequentemente para Florianópolis onde o pequeno fazia tratamento no Hospital Infantil Joana de Gusmão, porém a troca rotineira da sonda era feita em Jaraguá.

Conforme a denúncia dos familiares à polícia, em um boletim de ocorrência feito na última quarta-feira (23), Benjamin teria sofrido uma perfuração pulmonar na troca da sonda no início do mês, algo que teria passado despercebido e permitido a liberação do menino. Em casa, o quadro de saúde dele piorou e a família voltou ao hospital, onde o garoto precisou ficar internado por cerca de 20 dias.

No início da semana passada, médicos atestaram a morte cerebral de Benjamin. Por alguns dias ele ainda ficou ligado aos aparelhos, até a confirmação final do óbito no sábado (26). No domingo (27) o menino foi enterrado em Jaraguá do Sul.

O delegado Caléu Henrique Gomes de Mello, responsável pelo caso, disse ao AN que a perícia já esteve no hospital para fazer os laudos preliminares com base nos prontuários de Benjamin. Somente agora, com a confirmação da morte do menino durante o fim de semana, a perícia irá encerrar os trabalhos e a polícia deve convocar as primeiras testemunhas. Médicos e enfermeiros do hospital devem ser chamados a depor, além do pai da criança e outros familiares.

- No final da investigação vai ser analisado se houve uma possível negligência. É uma análise criteriosa, em que vamos avaliar se há algum culpado por isso - apontou o delegado Caléu.

Caso seja comprovado um erro no caso de Benjamin, o responsável pode responder pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

A reportagem entrou em contato com o Hospital e Maternidade Jaraguá, que não se manifestou sobre o caso até a publicação da matéria.

Família busca respostas

A morte de Benjamin gerou comoção na família moradora de Jaraguá do Sul. O garoto, visto como um guerreiro que encarou procedimentos hospitalares desde que nasceu, era querido por todos os parentes.

- Foi muito difícil, a gente tinha muito contato com ele, diariamente. A gente acompanhou desde o nascimento, ele e meu cunhado indo para médicos em Florianópolis, Jaraguá, Mafra, Joinville. Sempre batalhando. Agora acontece isso quando ele estava evoluindo, nessa idade boa de um ano e dois meses. Foi terrível - lamenta Joel dos Santos, tio de Benjamin.

Leia também:

Joinville tem plano de parque ao longo do Cachoeira; “deck Fritz” está na proposta

Futuro complexo de ensino em Joinville deverá iniciar com 2,7 mil alunos

Joinville tem 30,4 mil pessoas em situação de pobreza ou de extrema pobreza

Colunistas