publicidade

Cotidiano
Navegue por

Praia

Pontos impróprios para banho aumentam pela terceira semana em Santa Catarina

Oitenta quatro locais são inadequados para o banho de mar, maior número desta temporada de verão

25/01/2019 - 20h36 - Atualizada em: 25/01/2019 - 21h57

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
(Foto: )

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) informou, nesta sexta-feira (25), que 84 pontos analisados nas praias do litoral de Santa Catarina estão impróprios para banho, nesta semana. Os dados são do relatório de balneabilidade. É o maior número registrado nesta temporada desde que as análises iniciaram, em 7 de dezembro de 2018.

Em relação à semana anterior, há sete locais de coleta a mais inapropriados para banhistas. É a terceira semana que o número aumenta. No início das análises semanais feitas pelo IMA nesta temporada, em 7 de dezembro de 2018, eram 49 pontos impróprios.​

Essa contaminação por esgoto doméstico é verificada pela contagem da bactéria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais e que podem colocar em risco a saúde dos banhistas, explica o IMA.

Na medição mais recente, Florianópolis apresentou 24 pontos impróprios de um total de 85 analisados. Em Balneário Camboriú a situação é umas das mais críticas, com 13 locais poluídos (80% do total).

As coletas foram realizadas de 21 a 25 de janeiro nos municípios de Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo e São José.

Confira a qualidade da água coletada em 229 pontos do litoral de SC:

Como é feita a análise de balneabilidade

A análise considera a presença de bactérias que podem ser nocivas à saúde dos banhistas e leva em consideração o conjunto das últimas cinco análises. Para que um ponto seja considerado impróprio, duas dessas cinco análises precisam ter resultados negativos — com mais de 800 coliformes por 100 mililitros de água. Outra possibilidade de o ponto não estar banhável é se em apenas uma coleta forem localizados mais de 2 mil coliformes por 100 mililitros de água.

Coleta é feita desde 1976

O boletim de balneabilidade é divulgado pelo governo desde 1976. O objetivo é mostrar quais áreas estão contaminadas ou não por esgoto doméstico. Para que a análise determine um resultado, os técnicos do IMA verificam a contagem da bactéria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais de sangue quente. As coletas são realizadas nos pontos que recebem maior incidência de banhistas durante a temporada e também nos locais mais suscetíveis à poluição.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação