nsc
dc

publicidade

Sem fiscalização

Por falta de pagamento, radares das rodovias federais de SC e do RS estão desligados

O motivo é a falta de dinheiro para pagamento dos contratos, mas as lombadas eletrônicas seguem operando

17/11/2017 - 11h47 - Atualizada em: 17/11/2017 - 14h53

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Os radares das rodovias federais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina não estão registrando multas desde o último dia 11. O motivo é a falta de dinheiro para pagamento das empresas donas dos controladores de velocidade. Os equipamentos monitoram 241 faixas de tráfego: 123 nas rodovias gaúchas e 118 nas catarinenses.

Um memorando do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de Brasília informou às superintendências regionais sobre a determinação de paralisar os contratos em vigor. Já as lombadas eletrônicas seguirão ligadas devido a importância dos equipamentos na redução de velocidade nos locais onde estão instalados.

Além do Rio Grande do Sul e Santa Catarina outros 10 contratos foram suspensos das rodovias federais do Brasil pelo mesmo motivo. Recentemente, em outubro, o Dnit já havia divulgado que os pardais seriam desligados no dia 3 de janeiro do ano que vem por causa do fim do contrato com as empresas responsáveis pela fiscalização.

A empresa Kopp Tecnologia tem vínculo com o Dnit no Rio Grande do Sul desde 2010. Este contrato já foi prorrogado três vezes. E precisará passar por nova ampliação se o governo pretende não deixar as rodovias federais sem esse tipo de fiscalização.

A prorrogação será necessária por causa da impossibilidade de conclusão da nova concorrência do serviço de fiscalização eletrônica. A disputa foi lançada em maio do ano passado e já foi interrompida e reaberta quatro vezes. Atualmente, a licitação está suspensa na Justiça, atendendo pedido de uma empresa participante da concorrência. O Dnit já apresentou sua argumentação e aguarda o desfecho.

Leia a nota enviada pela PRF sobre o assunto

A PRF em SC vê com preocupação o fato, uma vez que o controle do excesso de velocidade é essencial para a redução de acidentes. Para tentar minimizar o problema, a Polícia Rodoviária Federal vai procurar intensificar a fiscalização de velocidade com seus radares estáticos portáteis, inclusive nos locais onde os radares fixos do DNIT em SC estão temporariamente desativados.

A PRF pede ao usuário das rodovias federais que continuem respeitando os limites de velocidade para cada trecho, independentemente da presença policial ou de radares fixos, desativados ou não. O objetivo é evitar acidentes e prevenir o assustador índice de mortos e feridos no trânsito brasileiro, que afeta milhares de famílias, ano após ano.

Leia mais notícias do trânsito em Santa Catarina

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade