Muitas vezes as raças de cachorro são alvo de polêmica. Mas quando se fala disso, se pensa nas que são taxadas por alguns de violentas. Entretanto, a posição da Holanda com relação à proibição diz respeito às raças de focinho achatado, como Pugs e Buldogues Franceses.

Continua depois da publicidade

Para entender melhor o motivo dessa decisão e a razão dela estar recebendo elogios  ao redor de toda Europa, confira a reportagem. 

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Origem da proibição

Primeiramente precisamos entender qual a grande questão que envolve esses animais. As raças de focinho achatado como Buldogue, Pug e Shih-Tzu se popularizaram muito nas últimas décadas por sua fofura. Porém, essas raças frequentemente sofrem com problemas de saúde por suas características físicas. 

A princípio pode até parecer que essa proibição é recente, mas na Holanda em específico, esse projeto já é discutido a quase uma década. Uma lei em 2014 proibiu a criação de cães chamados no meio veterinário de braquicefálicos, justamente aqueles com o focinho achatado.

Continua depois da publicidade

De acordo com especialistas holandeses, essas raças têm a sua qualidade de vida e até a saúde estariam sendo prejudicadas por suas características físicas. A lei foi aprovada em 2014 mesmo, mas só cinco anos depois, em 2019, que o governo holandês resolveu colocar em prática.

Motivos para a proibição

Além de pensar no Bem-estar animal, pois é sabido que esses animais sofrem bastante em atividades básicas. Existe toda uma questão que leva em consideração a mutação da espécie canina. 

No ano de 2019, um estudo do geneticista de cães Jeffrey Schoenebeck da Universidade Real de Edimburgo na Escócia, encontrou as características genéticas que trazem o formato físico desses cães. Em última instância, essa foi a comprovação de que a existência dos braquicefálicos coloca em risco toda a variedade canina.

A partir daí, o governo holandês passou a fazer um sistema que lembra um semáforo de cães. Isto porque as raças que tenham um focinho maior que um terço do crânio eram proibidas de se reproduzir.

Continua depois da publicidade

No início de 2023, o Ministro da Agricultura, Natureza e Qualidade Alimentar dos Países Baixos, Piet Adema, deu um passo a mais e proibiu a criação e exibição desses animais. “Tornamos a vida miserável para animais inocentes porque os achamos fofos. Hoje estamos dando um grande passo em direção a uma Holanda onde nenhum animal tenha que sofrer por sua aparência.” Declarou Adema em um comunicado oficial.

Pioneirismo holandês já é seguido em países da Europa

A Holanda é um país que sempre é lembrado por seu viés progressista e que sempre está inovando nessas questões. No quesito da proibição de cães com focinho achatado não foi diferente.

As associações de Bem-Estar Animal do  Reino Unido aplaudiram a atitude dos holandeses e o debate passou a ganhar espaço em terras britânicas. Entretanto, esse tópico tem gerado polêmicas pois há veterinários que acreditam que isso pode gerar ainda mais demanda e contrabando ilegal de animais.

Na Noruega, por outro lado, a proibição já foi aprovada. A população não pode mais adotar buldogues ingleses e da raça cavalier king charles spaniel. A justificativa é a dificuldade que esses animais têm para respirar. 

Continua depois da publicidade

Leia também

As joias e os relógios mais caros do mundo

A maior árvore do mundo e por que ela é tão gigante

Destaques do NSC Total