Dois filhotes de porcos selvagens foram encontrados sozinhos, ainda com o cordão umbilical, no Parque das Nascentes em Blumenau. O animal — também conhecido como cateto ou porco do mato — é ameaçado de extinção no Médio Vale do Itajaí e, se os pequenos não fossem resgatados, não teriam a chance de sobreviver, já que estavam órfãos.

Continua depois da publicidade

Inscreva-se e receba notícias pelo WhatsApp do Vale do Itajaí

Ambos foram acolhidos pelo Serviço de Atendimento de Animais Silvestres (SaasBlu) da cidade e, no mês passado, cerca de um ano depois, levados para um novo lar em Brusque. Lá, eles conseguiram um recomeço e ganharam, inclusive, uma “mãe adotiva”, que não poupou carinhos e brincadeiras para receber bem os “blumenauenses” (assista ao vídeo abaixo).

Por causa do nome do animal, os irmãos foram batizados de Cateto e Hipotenusa, em referência, também, ao Teorema de Pitágoras, na matemática. Os dois foram resgatados pela própria equipe do Parque das Nascentes em fevereiro do ano passado, que se deparou com os filhotes no meio da floresta. Para receberem os cuidados adequados, eles foram encaminhados ao Hospital Veterinário da Furb, onde chegaram hipotérmicos, desidratados e famintos.

No local, os profissionais tiveram, primeiramente, de encontrar um substituto do leite materno que fosse nutritivo o suficiente para que os filhotes se desenvolvessem da forma correta. Depois de um estudo minucioso, a dieta dos dois foi sendo ajustada, ao mesmo tempo em que passavam, semanalmente, por exames médicos, como raio-x, hemograma, eletrocardiograma e outros procedimentos veterinários.

Continua depois da publicidade

Confira fotos dos animais acolhidos pelo SaasBlu

De acordo com o coordenador do SaasBlu, professor Julio Cesar de Souza Jr., a espécie é ameaçada de extinção e não é vista com frequência na região. Isso porque o cateto gosta de permanecer em florestas saudáveis, distante de áreas urbanas, e costumam andar em bandos.

No caso dos dois filhotes, não se sabe o que aconteceu com a mãe deles, mas o professor levanta a hipótese de ela ter sido alvo de alguma caçada, já que o animal sofre redução populacional devido à pressão de caça e à perda de qualidade de habitat. Além disso, outra possibilidade é que eles tenham se perdido do restante do grupo de porcos do mato, não encontrando novamente a família.

Em abril deste ano, pouco mais de um ano depois de se recuperarem no Hospital Veterinário da Furb, os irmãos foram levados para o Parque Zoobotânico de Brusque, já que, neste caso, se fossem devolvidos à natureza, não sobreviveriam sozinhos.

Continua depois da publicidade

Em um dos vídeos gravados pela equipe do local, os dois aparecem já maiores, sendo recepcionados por uma fêmea de outra espécie de porco do mato, que vive no espaço. Juntos, os três trocam carinhos e brincam, inclusive, de pega-pega no gramado do parque. Para o professor Julio, isso acontece porque são animais sociáveis e gostam, portanto, de manter contato entre si.

Veja o vídeo

Agora, os dois irmãos têm a chance de recomeçar em um novo lar, ganhando até mesmo uma “mãe adotiva” para compensar o tempo em que não receberam a atenção materna da própria espécie.

*Sob supervisão de Bianca Bertoli

Leia também

FOTOS: Minigambás órfãos são acolhidos em Blumenau e ganham até “tetê”

Cliente inusitado aparece em supermercado de Blumenau e surpreende: “Promoção de nozes”

Destaques do NSC Total