nsc
    dc

    Entrevista à TV

    Povo saberá que foi enganado por governadores e imprensa sobre coronavírus, diz Bolsonaro

    Presidente afirma que a restrição de circulação e de serviços vai provocar desemprego em massa

    23/03/2020 - 05h15 - Atualizada em: 23/03/2020 - 06h26

    Compartilhe

    Por Folhapress
    Jair Bolsonaro com a máscara
    Bolsonaro critica ações adotadas em Estados como SC, SP e RJ
    (Foto: )

    Por Paulo Saldaña

    O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) manteve neste domingo (22) um discurso de minimizar as medidas de restrições de circulação e consequente atividade econômica tomada por governadores.

    Segundo Bolsonaro, o povo saberá que foi enganado pelos governadores e pela mídia na crise do coronavírus.

    — Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia nessa questão do coronavírus – disse Bolsonaro em entrevista à TV Record, veiculada na noite deste domingo.

    Em site especial, saiba tudo sobre o coronavírus

    — Espero que não venham me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados na minha pessoa.

    Bolsonaro disse que a população não pode entrar em pânico e que doenças como essa costumam ocorrer.

    — Mais importante que a economia é a a vida. Mas nós não podemos extrapolar na dose, com o desemprego aí, a catástrofe será maior.

    Neste sábado (21), Bolsonaro acusou governadores, a quem chamou de irresponsáveis, de quererem aumentar a taxa de desemprego no país ao restringirem a atividade econômica com medidas de precaução contra a pandemia do coronavírus.

    — No momento, a minha grande preocupação é com a vida das pessoas, bem como com o desemprego que é proporcionado por esses governadores irresponsáveis – afirmou ele, em entrevista à CNN Brasil.

    A crítica é uma referência às gestões dos governadores João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ), que decretaram o fechamento de serviços não essenciais, assim como Carlos Moisés da Silva (PSL), ex-aliado do presidente, em Santa Catarina.

    Questionado sobre o estado de quarentena anunciado por Doria em São Paulo, Bolsonaro chamou o governador tucano de "lunático".

    Em uma rede social, Doria respondeu: "@jairbolsonaro chama coronavírus de gripezinha e eu que sou lunático? Lidere seu País, presidente. Faça seu papel. Os governadores do Brasil estão fazendo o seu".

    Bolsonaro tem minimizado os impactos da doença no Brasil desde fevereiro, quando o primeiro caso foi registrado no país.

    Apesar de o vírus ter infectado 24 pessoas que estiveram com o presidente nos Estados Unidos, no início de março, Bolsonaro se nega a divulgar os resultados de seus testes que, segundo ele, deram negativo.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas