nsc

publicidade

Verão NSC

Praia Mole: tudo o que você precisa saber sobre o recanto no leste da Ilha

Preferida pelos jovens, a praia tem grandes ondas e orla conservada 

18/01/2019 - 06h10

Compartilhe

Gabriel
Por Gabriel Lima
Local passou a receber mais banhistas no fim dos anos 80
Local passou a receber mais banhistas no fim dos anos 80

A praia Mole é ponto de encontro de jovens que buscam diversão e grandes ondas. Os bares e restaurantes instalados no local atendem o público com festas, pocket shows e música, principalmente eletrônica. Já os surfistas vão pelas grandes ondas e o mar agitado, que não é tão frio quanto em praias próximas.

Assim como o público que a visita, a história da Mole também é recente. O local passou a receber mais banhistas no fim dos anos 80, após a instalação de alguns hotéis nas ruas próximas. Antes disso, a falta de acesso e infraestrutura faziam com que a praia fosse um reduto quase exclusivo de surfistas que buscavam locais mais afastados.

Apesar da badalação, a maior parte da vegetação da orla foi preservada. A fiscalização é tão rígida que não há sequer um acesso principal, sendo necessário passar por uma pequena trilha para chegar à praia. Mas é esse controle que permite que os visitantes sintam-se em um paraíso natural, seja tomando um drinque, conhecendo novas pessoas ou apenas relaxando embaixo do guarda-sol.

Como chegar?

A Praia Mole é localizada no Leste da Ilha, entre a Barra da Lagoa e o acesso para a Lagoa da Conceição. O caminho mais próximo saindo da região central de Florianópolis é pelo Morro da Lagoa. Após chegar na Lagoa da Conceição, é preciso entrar na Avenida das Rendeiras e seguir até o final da rua, quando haverá um desvio sinalizado para entrar na SC-406. Após subir e descer o morro, será possível ver estacionamentos com placas sinalizando para as entradas da Praia Mole.

Características da praia?

Como bem diz o nome, a areia da praia é mole — além de fofa e grossa. É comum o pé "afundar" nas caminhadas. A água é bastante clara e limpa, tanto que a Mole é considerada própria para banho de acordo com as últimas cinco análises do Instituto do Meio Ambiente (IMA). O mar agitado pode atrair muitos banhistas, mas é necessário ter atenção.

Público que frequenta?

A maior parte dos visitantes são jovens e surfistas que vão para a Mole em busca de festas e grandes ondas. Como o mar é perigoso, a recomendação é que as crianças não entrem na água, o que leva muitas famílias a optarem por outras praias de Florianópolis.

Praia é palco de festar durante o verão
Praia é palco de festar durante o verão
(Foto: )

O que fazer?

Há várias festas durante o verão promovidas pelos próprios bares e restaurantes instalados na praia. Apesar de ter música durante o dia inteiro dentro dos estabelecimentos, a partir do fim de tarde o volume aumenta com DJs e apresentações ao vivo. Quem está na areia, mesmo sem consumir, também acaba curtindo o som.

O lado esquerdo da praia também é conhecido por ser um ponto de encontro do público LGBT. Não que outros frequentadores não possam ficar no local, até porque próximo dali há uma trilha em direção à Galheta, praia de nudismo opcional. O caminho tem 300 metros e pode ser considerado fácil, com duração de até 15 minutos.

Surfistas vão pelas grandes ondas
Surfistas vão pelas grandes ondas
(Foto: )

O que comer?

A Mole é a praia com os valores mais desproporcionais entre os quiosques credenciados pela prefeitura, tanto que em alguns não há sequer valor no cardápio. Um pastel de carne, por exemplo, pode variar de R$ 9 a R$ 20 dependendo do estabelecimento. Outra grande diferença é o preço do açaí: o produto no copo de 500ml com banana, morango, granola, leite ninho e leite condensado vai de R$ 20 a R$ 27.

O que beber?

Os quiosques credenciados pela Prefeitura cobram R$ 5 pela garrafa de 500ml de água — valor que muda para mais ou menos nos bares e restaurantes da praia. A lata de refrigerante é vendida entre R$ 5 e R$ 7, enquanto a água de coco varia entre R$ 8 e R$ 10. Já o copo de suco natural não costuma sair dos R$ 10. Cerveja em lata custa entre R$ 6 e 7, e a garrafa long neck vai de R$ 8 a R$ 10. Drinques, que incluem batidas e caipirinha, são vendidos a partir de R$ 15.

Estacionamento?

Por conta da localização e preservação natural, não é possível colocar o veículo nas ruas próximas da Mole. Os estacionamentos privados ficam próximos dos acessos à praia e cobram em média R$ 20.

Restaurantes próximos?

Praticamente não há comércios próximos da praia além dos bares e restaurantes que se instalaram há mais de uma década na orla da Mole — alguns dos quais servem os pratos na areia. A especialidade são os frutos do mar, com iscas de peixe por R$ 40 e camarão à milanesa por R$ 68, nas porções para uma pessoa. Nos pratos para duas pessoas, o preço varia de R$ 69 até R$ 129, valor mínimo da sequência de camarão.

Algo interessante é que a Mole tem um estabelecimento que serve apenas produtos veganos e vegetarianos.

Deixe seu comentário:

publicidade