Santa Catarina registrou mais de 16 mil lesões por água-viva em praias do Estado neste verão. Os dados são do Corpo de Bombeiros Militar e foram coletados entre 16 de dezembro e 28 de janeiro. Em 43 dias, a média é de 386 ferimentos por dia. As informações são do g1 SC.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Na faixa de areia, os postos indicam a presença das águas-vivas através de uma bandeira lilás.

Ao g1, o professor Alberto Lindner, responsável pelo laboratório de Biodiversidade Marinha da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), explicou que é normal o aumento de ocorrências com água-viva no verão, já que a temperatura do mar está relacionada com o ciclo de vida de algumas espécies.

— No verão, a gente tende a encontrar águas-vivas em maior abundância, que é quando também a gente tem mais banhistas no litoral e acaba tendo essa interação. O acidente é o toque na água-viva — disse.

Continua depois da publicidade

Lindner explicou sobre o ferimento causado pelo animal. “Dá uma sensação de queimadura, mas tecnicamente é um envenenamento. O que elas têm é veneno mesmo”.

O que fazer se for ferido

O Corpo de Bombeiros Militar divulgou orientações sobre o que fazer se você for ferido por uma água-viva:

  • Procure o posto de guarda-vidas mais próximo
  • Caso não haja posto de guarda-vidas, use vinagre
  • Nunca use água doce, ela pode agravar a situação
  • Caso não haja vinagre disponível e a queimadura continuar, chame o Corpo de Bombeiros através do telefone 193

Confira o número de ferimentos por temporada em Santa Catarina, segundo os bombeiros:

  • temporada 19/20 -> 65.543
  • temporada 20/21 -> 5.776
  • temporada 21/22 -> 4.718
  • temporada 22/23 -> 24.768

Continua depois da publicidade

Leia mais

Ocorrências com água-viva aumentam 817% em SC em relação ao ano passado

Destaques do NSC Total