nsc

    Seu bolso

    Preço da gasolina não deve cair nas bombas em Florianópolis

    Revendedores alegam que houve aumento na base de cálculo do ICMS na virada do ano

    16/01/2020 - 16h28 - Atualizada em: 16/01/2020 - 18h55

    Compartilhe

    Por Redação CBN Diário
    Carro sendo abastecido
    Preço médio fica entre R$ 4,37 e R$ 4,39, informa Sindicato
    (Foto: )

    A redução no preço da gasolina nas refinarias, anunciada na segunda-feira (13) pela Petrobrás, não chegou às bombas na Grane Florianópolis. E nem deve chegar. O Sindicato dos Revendedores Minerais alega que a base de cálculo do ICMS aumentou a partir de 1º de janeiro.

    O argumento do vice-presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis Minerais (Sindópolis), Joel Fernandes, é de que, em geral, o reajuste decorrente do ICMS não foi repassado às bombas, e por isso essa redução também não o será. Além disso, Fernandes explica que a redução de 3% na refinaria impactaria em apenas R$ 0,02 no preço de varejo, pois 27% da gasolina tem mistura de anidro.

    — Os revendedores dos produtos ainda estão com uma defasagem entre o aumento do ICMS do dia 1º e a diminuição de preço na gasolina. Isso talvez não contenta ser repassado para o valor na bomba. O consumidor não vai ver essa redução, assim como não viu o aumento pelo ICMS — comenta o vice-presidente do Sindópolis.

    O valor médio do combustível na região, segundo ele, varia entre R$ 4,37 e R$ 4,39. A entidade sustenta que Santa Catarina tem um dos combustíveis mais baratos do país, abaixo da média nacional:

    — No Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, está em R$ 5, e em São Paulo, R$ 4,90 — compara Fernandes.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas