nsc
    dc

    Coronavírus

    Prefeito de Chapecó confirma primeira morte pelo novo coronavírus na cidade

    Luciano Buligon concedeu entrevista na manhã desta segunda (18) ao Bom Dia Santa Catarina, da NSC TV

    18/05/2020 - 07h44 - Atualizada em: 18/05/2020 - 12h39

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Prefeito de Chapecó, Luciano José Buligon
    Prefeito de Chapecó, Luciano José Buligon
    (Foto: )

    O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSL), disse na manhã desta segunda-feira (18), em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina, da NSC TV, que a cidade registrou a primeira morte pelo novo coronavírus. Segundo o prefeito, a vítima é um homem de 85 anos, que tinha doenças associadas. O óbito por Covid-19, no entanto, ainda não foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

    > Em site especial, saiba tudo sobre o coronavírus

    Chapecó se tornou neste fim de semana a cidade com mais casos confirmados do novo coronavírus no Estado - são 506 infectados, de acordo com dados da SES atualizados no domingo (17). O município do Oeste catarinense é seguido por Florianópolis (473), Blumenau (418), Joinville (308), Criciúma (281) e Concórdia (243).

    Ao falar sobre o crescimento de casos na cidade, Buligon citou o aumento do número de testes e o relaxamento da população diante de “feriados e dias de sol” como possíveis motivos. Ele ressaltou, porém, que nas últimas semanas os moradores vêm respeitando as medidas de prevenção, citando por exemplo que 95% tem utilizado máscaras para sair de casa, e destacou a importância da conscientização para o combate à Covid-19.

    — Essas medidas, unidas àquelas que já temos tomado desde 18 de março, têm nos dado uma garantia que efetivamente o nossos sistema de saúde público e privado vai sim ser suficiente para atender às pessoas que necessitarem. E precisamos, acima de tudo, que todos todos os chapecoenses, todos oestinos, todos os catarinenses, entendam que o combate da Covid é um combate de todos, e a sensibilização de todos é a única vacina que nós temos — declarou.

    > Painel do Coronavírus: veja em mapas e gráficos a evolução dos casos em Santa Catarina

    Além disso, o prefeito destacou que tem atuado para fortalecer o sistema de saúde do município. Nesta terça (19), ele se reunirá em Florianópolis com o governador Carlos Moisés (PSL) para tratar do fortalecimento da rede hospitalar.

    Ainda conforme Luciano Buligon, desde o início da pandemia foram instalados 26 novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) públicos e 10 privados na cidade. No momento, ainda de acordo com ele, a ocupação de leitos de UTI para Covid-19 é de 39%. O prefeito disse que adotará medidas mais drásticas de restrição quando essa ocupação ultrapassar os 50%.

    Há pouco mais de uma semana, o Governo de Santa Catarina chegou a recomendar que a prefeitura fechasse o comércio e os serviços não essenciais por 14 dias por conta do crescimento dos casos de Covid-19. No entanto, o prefeito decidiu manter o comércio aberto e afirmou que iria aumentar a fiscalização.

    > Saiba quem são os mortos por Covid-19 em Santa Catarina

    Segundo Buligon, caso a ocupação de leitos ultrapasse os 50%, serão fechados bares e restaurantes. Se o limite passar dos 60%, os serviços não essenciais, como comércio de rua e shoppings, também serão fechados. Já se a ocupação for superior a 80%, haverá o fechamento total da cidade. Buligon também adiantou que, caso o Estado decida liberar o transporte coletivo, ele manterá o serviço suspenso em Chapecó.

    > O vírus está nas roupas, nos sapatos, no cabelo ou no jornal?

    Colunistas