nsc
dc

publicidade

Seu direito

Procon de SC multa empresas de telefonia em R$ 8,4 milhões por reclamações de consumidores

A maioria dos casos envolve cobrança indevida, falta de sinal, o não cumprimento de oferta e a não prestação do serviço, como má qualidade e mau atendimento

22/10/2019 - 15h53 - Atualizada em: 22/10/2019 - 16h07

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Divulgação
As quatro empresas já somam mais de 40 mil reclamações em SC em 2019
(Foto: )

As quatro principais empresas de telefonia do Brasil foram multadas em R$ 8,4 milhões pelo Procon de Santa Catarina. A ação envolve infrações ao Código de Proteção e Defesa do Consumidor e soma ações ao longo de todo o ano de 2019. Conforme o levantamento do Procon, até o dia 21 de outubro as quatro empresas já haviam somado mais de 40 mil reclamações em toda Santa Catarina.

Diretor do órgão em SC, Tiago Silva explica que as multas aplicadas envolvem os casos em que houve reclamação por parte do consumidor e que as empresas não resolveram o problema. A maioria dos casos envolve cobrança indevida, falta de sinal, o não cumprimento de oferta e a não prestação do serviço, como má qualidade e mau atendimento.

A maior multa foi aplicada na TIM, em um valor de R$ 4,2 milhões. A empresa foi a líder de reclamações no período, com cerca de 16,7 mil registros feitos no Procon. A Oi e a Vivo receberam multas no mesmo valor: R$ 1,7 milhão, enquanto a Claro terá que pagar R$ 576 mil.

O diretor do Procon/SC explica que as empresas terão 15 dias para pagar as multas e o valor vai para o fundo do Ministério Público.

— Notamos um número preocupante de reclamações já em comparação ao ano passado. É importante que o consumidor saiba que o Procon age nesses casos e que a reclamação dele tem efeito — destaca Silva.

O Procon esclarece que em em casos de irregularidades o consumidor deve primeiro ligar para o 0800 da operadora e anotar o protocolo de atendimento. Caso o problema continue, ou em caso de dificuldades com a operadora, o consumidor deve procurar o Procon mais próximo.

Deixe seu comentário:

publicidade