Uma quadrilha do Rio Grande do Sul foi alvo de uma operação da Polícia Civil nesta quarta-feira (24) após ter sido identificada como responsável por um perfil falso nas redes sociais que fazia uso da imagem de um delegado de Santa Catarina para aplicar o chamado “golpe dos nudes”. Até o final da tarde, 14 de 17 mandados de prisão contra os envolvidos já haviam sido cumpridos.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

O caso que despertou a investigação surgiu no começo de 2023, quando pessoas começaram a buscar a polícia afirmando terem sido extorquidas por um perfil falsamente atribuído a um delegado de Caçador, no Meio-Oeste catarinense. Os golpistas atuavam para ganhar a confiança das vítimas e obter a troca de fotos íntimas. Ao conseguirem isso, eles passavam a pedir dinheiro para não divulgar as imagens.

Somente no Meio-Oeste de Santa Catarina, os criminosos lucraram cerca de R$ 60 mil. Entre julho de 2022 e março do ano passado, no entanto, parte das contas bancárias ligadas ao golpe movimentaram R$ 2,8 milhões, o que indica que muitas outras pessoas foram vitimadas pelo esquema.

A Polícia Civil acredita que a prática do golpe dos nudes esteja amplamente difundida em Santa Catarina. Além disso, parte dos criminosos envolvidos chega a operar o esquema de dentro do sistema prisional.

Continua depois da publicidade

A operação deflagrada contra a quadrilha que fez uso da imagem do delegado, nomeada Damas do Golpe, também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão domiciliar. Os trabalhos com cerca de 60 policiais foram realizados nos municípios de Porto Alegre, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Nova Santa Rita, Sapiranga, Tramandaí, Salto do Jacuí e São Francisco de Assis, todos eles no Rio Grande do Sul.

Leia mais

Torneio com pássaros de até R$ 50 mil termina em corre-corre, fuga e apreensão de aves em SC

Estudante de universidade federal é morta a tiros durante pesquisa para TCC em Porto Alegre

Destaques do NSC Total