A DC Comics tem vários personagens e heróis clássicos, desde o Batman até o Aquaman. Mas a editora norte-americana subsidiária da companhia Warner Bros. Discovery possui um seleto banco de histórias que vão além deles. Em “Sandman”, de Neil Gaiman, por exemplo, a narrativa se aproxima muito mais de nossa realidade do que outros protagonistas da empresa. Isso porque esses quadrinhos trabalham as relações entre os sonhos e a realidade.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

Essas páginas foram adaptadas para uma série de sucesso na Netflix que estreou em 2022 com 11 episódios — e que foi renovada para uma segunda temporada, com previsão de lançamento em 2025.

Continua depois da publicidade

História de “Sandman”

“Sandman” é um dos quadrinhos mais famosos da DC, com um dos universos de maior complexidade já criados dentro da marca. De acordo com a GQ Magazine, o enredo de Neil Gaiman tem início em 1988, com a história de Dream, a personificação de todos os sonhos, também chamado de Morpheus ou Sandman.

Nas primeiras edições, ele tenta recuperar o seu poder de comandar a narrativa do mundo dos sonhos depois de mais de 60 anos como prisioneiro. Depois que esse enredo se encerra, “Sandman” viaja pelo tempo e espaço, fazendo o seu trabalho à frente dos sonhos de cada ser vivo do universo.

Continua depois da publicidade

Como “Sandman” foi adaptado para as telas?

“Sandman” é uma história em quadrinhos de difícil adaptação, tanto que os próprios executivos da Warner consideraram a obra impossível de ser filmada em uma reunião com Neil Gaiman. Mas, contrariando as expectativas, a Netflix embarcou nesta viagem e produziu a série com mudanças autorizadas pelo autor no roteiro.

Além disso, Gaiman esteve presente durante as filmagens como supervisor da adaptação. Em uma entrevista para a BBC, ele revelou que as novidades no mundo dos meios de comunicação tornaram isso possível já que a possibilidade de fazer uma série mais longa contempla melhor tudo que foi abordado nas revistinhas semanais.

“A questão de fazer televisão é que nunca há dinheiro e nem tempo suficiente, mas agora você pode lidar com a falta de dinheiro e de tempo em uma escala muito maior”, afirmou Gaiman para a BBC. Assim, quem nunca leu os quadrinhos ou os livros, pode sim assistir à versão adaptada e, para o caso de quem sempre foi fã de “Sandman”, há algumas surpresas na narrativa do audiovisual.

Continua depois da publicidade

Leia mais

Celebridades que “compartilham” do mesmo rosto mas não são parentes

Tudo sobre A Casa do Dragão, série do mesmo universo de Game Of Thrones

Destaques do NSC Total