nsc

Mercado da bola

Reforma na Ressacada, fechamento do CFA e reforços: os planos do Avaí com possíveis vendas de Gabriel e Guga

Presidente avaiano, Francisco Battistotti, fala no Estádio CBN sobre a utilização de recursos que podem chegar ao clube

11/08/2020 - 11h49 - Atualizada em: 11/08/2020 - 13h34

Compartilhe

Kadu
Por Kadu Reis
Gabriel Magalhães (Lille) marcando Neymar (PSG) em jogo do Campeonato Francês
Gabriel Magalhães (Lille) marcando Neymar (PSG) em jogo do Campeonato Francês
(Foto: )

A fórmula de geração de receitas adotada pela administração do Avaí está próxima de dar retorno financeiro significativo ao clube. Formados na base azurra, o zagueiro Gabriel Magalhães (Lille-FRA) e o lateral-direito Guga (Atlético-MG) podem realizar novas transferências e gerarem dividendos ao Leão da Ilha. Os percentuais dos atletas mantidos pelo clube agora podem se transformar em novos investimentos.

— Vai existir mais evolução quando equalizarmos a situação financeira com os recursos que estamos aguardando. Estamos imaginando (as vendas) de Gabriel e Guga. Foi um planejamento que fizemos. O Gabriel até o final de agosto deve estar fechado. Isso vai nos ajudar a fazer melhorias na Ressacada, que precisa de reformas. Também há necessidade de fechar o centro de treinamento, isso é urgente — projeta o presidente Francisco Battistotti.

Avaí visita o Paraná para confirmar início forte na Série B

Aos 22 anos, o zagueiro Gabriel Magalhães é "a bola da vez" no mercado do futebol europeu. Titular do Lille, da França, o jogador teve o nome ligado a alguns dos principais clubes do mundo, como Arsenal, Manchester United, Chelsea, Everton, Real Madrid e Napoli. Com o tamanho da lista de interessados, o atleta deve realizar uma transferência até o fechamento da janela de contratações, em outubro.

De Palhoça para o mundo: Tucão estreia no profissional do Avaí, chora de emoção e valoriza oportunidade

O valor especulado da negociação de Gabriel é de 25 milhões de libras (R$ 177 milhões de reais), custo da multa junto ao clube francês. O Avaí detém 15% dos direitos do atleta (com parte dos valores já negociados), além do percentual de clube formador determinado pelo mecanismo de solidariedade da FIFA.

Hoje no Atlético Mineiro, Guga também pode deixar o Brasil
Hoje no Atlético Mineiro, Guga também pode deixar o Brasil
(Foto: )

Outro jogador formado na base avaiana, o lateral-direito Guga, de 21 anos, também pode realizar uma segunda transferência em breve. O Atlético Mineiro recebeu proposta de cerca de 5 milhões de euros (R$ 31 milhões) para aquisição do jogador pelo Spartak Moscou, da Rússia. O Avaí possui 25% dos direitos do atleta.

— Vai depender das negociações destes dois atletas. Se houver as negociações, certamente aparecerá (reforço de peso no Avaí). Nossa preocupação é pagar salários em dia. Estamos em dia. Esta é nossa meta, nossa gestão. Se houver as negociações, teremos um fluxo de caixa aliviado, nos garantindo tranquilidade até o final do ano. Nosso objetivo é subir para a Série A e, se deixarem, nós vamos beliscar o título — afirma o presidente do Avaí.

Assista à entrevista do presidente Francisco Battistotti no Estádio CBN (a partir de 1:29:00):

Colunistas