nsc
    dc

    Sul de SC

    Região carbonífera de SC amplia medidas contra o coronavírus

    Definições serão válidas pelos próximos 14 dias

    29/07/2020 - 16h12 - Atualizada em: 30/07/2020 - 07h55

    Compartilhe

    Lariane
    Por Lariane Cagnini
    Criciúma
    Criciúma disse que não vai aderir à restrição de horários
    (Foto: )

    Dez das 12 cidades que compõem a região carbonífera, no Sul de Santa Catarina, vão ampliar as restrições no combate ao coronavírus. Criciúma e Urussanga foram as duas que se posicionaram contrárias e não vão aderir às decisões da região. 

    Um encontro da Comissão Intergestores Regional (CIR-Carbonífera), na manhã desta quarta-feira (29), determinou os pontos comuns a serem adotados pelas cidades. A coordenadora da Comissão e secretária de Saúde de Nova Veneza, Maristela Vitali Cúbico, disse que o documento será publicado até o final do dia.

    Chapecó amplia restrições contra o coronavírus e prefeito afirma: "Aglomeração é deboche"

    Ficou definido pelos municípios que serviços essenciais, como supermercados e farmácias, podem funcionar até as 21h. No sábado até o meio dia, e no domingo os estabelecimentos devem ficar fechados.  

    O horário de atendimento do comércio e de restaurantes, considerados serviços não essenciais, também muda. Eles poderão atender até as 21h de segunda a sexta-feira, mas terão que fechar no fim de semana, assim como as academias, que devem funcionar até as 20h.

    Risco de contaminação pelo coronavírus é maior em locais fechados; veja como se proteger

    Até o final do dia os municipios devem publicar seus decretos, determinado as ações válidas pelos próximos 14 dias.

    Na justificativa, a assessoria de comunicação de Criciúma informou que o prefeito Clésio Salvaro está embasado em decisão recente, ocorrida em Joinville, para reforçar convicção de não aderir ao novo decreto da Amrec. 

    SC tem mais de 1 mil mortes por coronavírus, diz Estado; ocupação em leitos de UTI chega a 82,4%

    Segundo Salvaro, está embasado na avaliação da própria Secretária de Saúde de Criciúma e Vigilância Sanitária, que recomendam, inclusive, maior tempo de atendimento ao público em alguns casos, como nos supermercados. Nesses locais, com menos tempo de atendimento, é maior a probabilidade de que as pessoas se desloquem ao mesmo tempo para fazer as compras, gerando aglomerações.

    É falso que hospitais de SC recebem R$ 18 mil por cada morte registrada como Covid-19

    No caso de Urussanga, o governo municipal se reuniu na tarde de quarta com o setores envolvidos, para ouvir os posicionamentos. Ficou definido que o município também irá manter o decreto vigente, sem adesão aos novos horários propostos pelo Comitê.

    As duas cidades podem sofrer cobranças na Justiça por descumprir uma determinação conjunta, de caráter regional, no combate à pandemia. Caso semelhante ocorreu na região de Tubarão e Laguna, onde três cidades tiveram que voltar atrás e aderir à quarentena.

    Coronavírus na região

    O boletim da Amrec, com dados coletados até as 21h desta terça-feira (28), aponta que as 12 cidades somam 4.559 casos de coronavírus, com 63 mortes confirmadas pela doença. Dos diagnosticados, 2.368 são considerados curados conforme as secretarias municipais de saúde.

    Governo de SC mantém posição sobre restrições e sobe o tom em resposta ao MP-SC

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas