nsc

Alteração

Reunião de prefeitos em Florianópolis acaba antes para reduzir riscos de coronavírus

Evento encerra um dia antes do previsto, após alerta do Ministério da Saúde

12/03/2020 - 11h59 - Atualizada em: 12/03/2020 - 13h01

Compartilhe

Juliana
Por Juliana Gomes
Encontro da Frente Nacional de Prefeitos, em Florianópolis, nesta quinta-feira
Encontro da Frente Nacional de Prefeitos, em Florianópolis, nesta quinta-feira
(Foto: )

Vai acabar antes do previsto a reunião da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) em Florianópolis, programada para discutir, entre outros assuntos, a prevenção do novo coronavírus. A decisão foi tomada após o alerta do Ministério da Saúde para que locais com aglomeração de pessoas sejam evitados para reduzir os riscos de contágio.

As atividades programadas até sexta-feira (13) vão ser concluídas no fim da tarde desta quinta (12), conforme o secretário-executivo da FNP Gilberto Perrer.

— A pauta foi condensada, vamos acelerar a agenda que termina hoje (quinta). Os cuidados são importantíssimos, é fundamental agora se precaver. Os prefeitos estão discutindo formas de que se evite o caso da Itália e do Irã e se chegue a situações mais controladas — explicou Perrer.

Com dois casos suspeitos de coronavírus em Aracaju (SE), segundo o prefeito Edvaldo Nogueira, um plano de contingência já foi implementado na cidade.

— Já tá em andamento desde o primeiro caso suspeito. Toda unidade básica de saúde está preparada. Médicos orientados, assim como enfermeiros e auxiliares, para que pessoas que vieram de outros países com tosse ou febre alta, já fossem colocados em uma sala a parte e atendidos prioritariamente — declarou Nogueira.

Em Florianópolis, a prefeitura contratou mais médicos e enfermeiros especialistas em saúde da família para atuar na prevenção à doença. O prefeito Gean Loureiro espera reforço de recursos federais para ampliar ainda mais o atendimento.

— Já temos estrutura de atendimento estendido das 7h da manhã às 7 da noite. Unidades de saúde estão equipadas e profissionais estão treinados. Vamos lançar na segunda o programa Alô Saúde, com telefone 24 horas, sete dias por semana, onde a pessoa recebe orientações, ao apresentar seus sintomas. A orientação é não ir à unidade de saúde, de acordo com os sintomas, ou se agenda uma consulta ou faz encaminhamento para hospital ou ponto de referência pro tratamento — disse Loureiro.

Colunistas