nsc
hora_de_sc

Animação

Rodrigo Santoro dubla vídeo que pede a proibição de testes cosméticos em animais

A animação "Save Ralph" conta também com nomes como Taika Waititi, Ricky Gervais e Zac Efron

13/04/2021 - 09h55

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Save Ralph, Rodrigo Santoro
A campanha tem o objetivo chamar a atenção para o sofrimento suportado pelos animais e envolver consumidores e políticos na missão e banir a prática
(Foto: )

O ator Rodrigo Santoro é um dos artistas a dublar a animação Save Ralph, que pede a proibição de testes cosméticos em animais. Ao lado dele na campanha global da HSI (Humane Society International) estão cineastas e outras estrelas do cinema, como Taika Waititi, Ricky Gervais, Zac Efron, Olivia Munn, Pom Klementieff e Tricia Helfe.

A campanha tem o objetivo chamar a atenção para o sofrimento suportado pelos animais e envolver consumidores e políticos na missão e banir a prática. O filme apresenta o porta-voz da campanha da HSI, Ralph, dublado por Taika Waititi, sendo entrevistado enquanto segue sua rotina diária como "testador" em um laboratório de toxicologia.

> Curta de terror inspirado no jogo Animal Crossing vai ser adaptado para longa-metragem

"Se você não assistir e amar, então você odeia animais e não podemos mais ser amigos. #SaveRalph", publicou Taika Waititi no Twitter antes do lançamento da animação. O roteirista e diretor Spencer Susser (de Hesher e O Rei do Show) disse que os animais em laboratórios de testes cosméticos não têm escolha, e é responsabilidade de todos fazer algo a respeito. "Quando surgiu a oportunidade de criar uma nova campanha para a Humane Society International, senti que o stop motion era a maneira perfeita de transmitir a mensagem", afirmou.

Segundo a HSI, os testes em animais são proibidos em 40 países. No entanto, a prática é completamente legal na maioria dos lugares e submete ao sofrimento e morte desnecessária milhares de animais. "Save Ralph é um alerta para os cidadãos e legisladores europeus que acreditam que os testes de cosméticos em animais acabaram na UE. Não acabaram: apenas receberam um novo nome de 'avaliação de produtos químicos', mas é o mesmo velho sofrimento animal", disse Troy Seidle, vice-presidente de pesquisa e toxicologia da HSI.

Colunistas