nsc

publicidade

Dia Mundial sem Tabaco

Saiba quais doenças são provocadas pelo uso do cigarro e derivados do tabaco

A cada hora, 23 pessoas morrem no Brasil por causa de doenças relacionadas ao cigarro

02/06/2017 - 12h35 - Atualizada em: 02/06/2017 - 12h37

Compartilhe

Por Redação NSC
Cigarro, charuto e narguillé são responsáveis por várias doenças, como câncer e problemas respiratórios
Cigarro, charuto e narguillé são responsáveis por várias doenças, como câncer e problemas respiratórios
(Foto: )

Que o fumo faz mal, não é novidade para ninguém. Mas você sabe quantas doenças diferentes pode desenvolver por causa do cigarro e de outros produtos derivados do cigarro? Segundo especialistas, o cigarro, assim como charuto, cachimbo e narguillé, são responsáveis por quase 50 doenças diferentes.

As mais comuns são câncer (principalmente de pulmão), doenças cardiovasculares, respiratórias e crônicas. A cada hora, 23 pessoas morrem no Brasil por causa de doenças relacionadas ao cigarro. Isso quer dizer que são pelo menos 200 mil mortes por ano só no país.

Segundo o oncologista Edson Sidney Campos, o fumo é o responsável por 90% dos diagnósticos de câncer de pulmão, além de provocar outros tipos de câncer como o de bexiga, esôfago, laringe, faringe, estômago, entre outros.

— A maior fonte de câncer é o cigarro. De cada três fumantes, um vai morrer por causa dele — afirma o médico.

Edson explica que a maioria dos agentes encontrados no cigarro são tóxicos ao genoma, lesando genes que produzem proteínas que protege o corpo contra o câncer. Ele também afirma que quanto mais idosa, maiores são as chances de desenvolver um câncer.

Confira as doenças e problemas desenvolvidos por causa do cigarro:

Aneurismas da artéria aorta

Aneurisma cerebral

Asma

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Câncer de pulmão

Câncer da boca e língua

Câncer de laringe

Câncer do esôfago

Câncer do estômago

Câncer de bexiga

Câncer de colo do útero

Câncer de cólon e pólipos intestinais

Câncer do pâncreas

Câncer de próstata

Câncer do rim

Bronquite e enfisema pulmonar

Infarto do miocárdio

Infarto fulminante

Insuficiência renal

Insuficiência venosa e varizes dos membros inferiores

Úlceras de estômago e gastrite

Úlceras na pele

Leucemias

Osteoporose

Alzheimer

Degeneração macular

Artrite reumatoide

Candidíase oral

Catarata

Diabetes

Fratura do colo do fêmur

Gangrena e amputações

Hipertensão

Incontinência urinária

Trombose venosa profunda

Pneumonia

Doença de Crohn

Glomerulonefrites

Infertilidade

Laringite

Lesões odontológicas

Hérnia de disco

Impotência sexual

Neuropatia óptica

Pé diabético

Pneumotórax

Psoríase

Vaginose bacteriana

Rinite alérgica

Perda da audição

Outros problemas:

Celulite

Dismenorreia (Cólicas menstruais)

Envelhecimento precoce

Hemorroidas

Mau hálito

Menopausa precoce

Redução do paladar e do olfato

Loteria da morte

As estatísticas revelam que, comparados aos não fumantes, os fumantes apresentam risco:

10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão

5 vezes maior de sofrer infarto

5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar

2 vezes maior de sofrer derrame cerebral

O tabagismo é responsável por:

90% das mortes por câncer de pulmão

30% das mortes por câncer de boca

25% das mortes por doença do coração

85% das mortes por bronquite e enfisema

25% das mortes por derrame cerebral

Se parar de fumar agora:

Após 20 minutos sua pressão sanguínea e pulsação voltam ao normal

Após 2 horas não tem mais nicotina no seu sangue

Após 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza

Após 2 dias seu olfato já percebe melhor os cheiros e seu paladar readquire a capacidade de identificar sabores

Após 3 semanas a respiração fica mais fácil e a circulação melhora

Após 5 a 10 anos o risco de sofrer infarto será igual ao de quem nunca fumou

Ajuda para parar de fumar

Não há padrão quando se trata de tabagismo: algumas pessoas podem passar décadas como fumantes e não apresentar doenças graves, enquanto outras, por predisposição genética, desenvolvem rapidamente uma das 50 doenças causadas pelo uso de tabaco e seus derivados. Da mesma forma, a facilidade de parar de fumar ou não é diferente de pessoa para pessoa. Em Joinville, o Programa Municipal de Controle do Tabagismo oferece tratamento gratuitamente em todas as unidades básicas de saúde.

Em grupos, os participantes passam por técnicas cognitivo-comportamentais que os auxiliam no processo.

— São quatro sessões semanais e, depois, quinzenais. O objetivo é que, na quarta sessão, o paciente já tenha parado de fumar — conta a coordenadora do Núcleo de Apoio à Rede de Atenção à Saúde, Simone Mafra de Farias.

O programa ocorre após a formação de grupos e, por isso, é necessário que interessados apresentem-se na unidade básica de saúde para entrarem na lista de espera.

Conheça histórias de joinvilenses que pararam de fumar

Deixe seu comentário:

publicidade