nsc
    dc

    Exportações

    Santa Catarina amplia venda de suínos em 33% 

    Acumulado do ano chega a US$ 467 milhões, puxado pela China e Hong Kong

    12/08/2019 - 17h50 - Atualizada em: 12/08/2019 - 19h51

    Compartilhe

    Darci
    Por Darci Debona
    Exportação de suínos de Santa Catarina aumentou 33% em 2019
    Santa Catarina produziu 57% de tudo o que o Brasil exportou em 2019
    (Foto: )

    Santa Catarina exportou US$ 75 milhões em julho, 3,5% a mais do que em julho do ano passado e, no acumulado do ano, já são US$ 467 milhões, 33% a mais do que nos primeiros sete meses do ano passado.

    Em volume foram 35 mil toneladas em julho, 19% a menos do que em julho do ano passado, e 236 mil toneladas no acumulado do ano, num volume 29% superior ao do ano passado.

    De acordo com o analista de carnes do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Alexandre Giehl, só houve uma queda em volume comparado a julho do ano passado pois naquele mês houve uma venda maior de carne que tinha ficado represada devido à greve dos caminhoneiros.

    - Embora neste caso também não seja recomendável fazer comparações entre os dois meses (julho/18 e julho/19), chama a atenção o fato de que os embarque para a China cresceram 50,8% em valor e 26,7% em quantidade e para o Chile 134,7% e 96,4% em valor e quantidade, respectivamente disse Giehl.

    Em julho deste ano a china comprou 16,8 mil toneladas, com faturamento de R$ 35,8 milhões. O Chile foi o segundo maior comprador, com 5 mil toneladas e faturamento de R$ 12 milhões.

    No caso da China as vendas cresceram muito devido aos focos de peste suína que dizimaram entre 20 a 30% dos rebanhos. No ano os chineses já compraram 91 mil toneladas, no valor de R$ 192 milhões.Hong Kong, que é uma área administrativa autônoma da China, foi o segundo maior comprador no acumulado do ano, com 37 mil toneladas e US$ 64 milhões.Os dois destinos somados representam 58% do volume e 62% do faturamento das exportações de suínos de Santa Catarina.

    O estado também representa 57,7%das vendas do Brasil, que foram de US$ 845 milhões nos primeiros sete meses.

    -“Santa Catarina continua crescendo em exportações, tanto na venda de suínos quanto de aves. A China se tornou um grande mercado e vem aumentando as compras ao longo do ano, mas nós não podemos perder de vista outros mercados importantes. Nosso objetivo agora é abrir as exportações de carne suína para o México – avaliou o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.

    Com isso o preço base do quilo do suíno vivo pago pelas agroindústrias já aumentou de R$ 2,90 a R$ 3,00 para R$ 3,70 para R$ 3,80.

    Leia também:

    Exportação de frango cai em julho

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas