nsc
    santa

    Socorrista de 4 patas

    SC tem mais um cão apto para trabalhos de buscas; veja fotos de Moana

    Cadela fica à disposição das equipes de Itajaí para operações de busca e resgate

    02/04/2021 - 13h32 - Atualizada em: 02/04/2021 - 13h35

    Compartilhe

    Bianca
    Por Bianca Bertoli
    Moama é da raça Labrador Retriever
    Moana é da raça Labrador Retriever
    (Foto: )

    Santa Catarina certificou mais um cão de busca nesta semana. A cadela Moana está pronta para atuar junto com o soldado Thiago Amorim no 7º Batalhão de Bombeiros Militar, com sede em Itajaí, no Vale. 

    > Receba todas as notícias do Santa no seu WhatsApp. Clique aqui.

    Para poder atuar como verdadeiros socorristas, esses animais precisam ser certificados, algo que ocorre apenas depois que eles possuem pouco mais de um ano de idade. Moana fez a prova nesta semana, entre os dias 29 e 30, e a dupla completou os testes de obediência e destreza, além da busca noturna, com sucesso. Eles já haviam sido aprovados nas provas diurnas no final do ano passado.

    — Nós sabemos que a pandemia prejudicou muitas áreas, inclusive a nossa, mas a atividade de busca com cães não para. No último ano fomos acionados 95 vezes — explica o presidente da Coordenadoria de Busca, Resgate e Salvamento com Cães, Tenente-Coronel Walter Parizotto.

    Agora certificados, Moana e Amorim continuam os treinamentos para estarem preparados aos chamados a qualquer momento, seja na região de Itajaí ou não.

    Moana passou em todas as provas
    Moana concluiu com sucesso todas as provas
    (Foto: )

    Está no sangue

    O interesse do soldado em fazer parte de um binômio (dupla entre bombeiro militar e cão de busca) vem de família. 

    Ele é filho do sargento Evandro Amorim, que fez história com o cão Ice, atuando por muitos anos também em Itajaí e em operações nacionais, como na tragédia de Mariana, em Minas Gerais. O pai agora curte a aposentadoria e auxilia muitas crianças na terapia assistida com cães.

    — Fiquei muito emocionado com tudo que nós vivenciamos até aqui e a certificação é um fruto do nosso esforço. Mas a partir de agora tem muito a ser feito, já que precisamos manter o ritmo, aprimorar as técnicas para ficarmos sempre prontos para ajudar aos cidadãos — comemorou Amorim depois das provas.

    Soldado ficou emocionado com a certificação
    Soldado ficou emocionado com a certificação
    (Foto: )

    Moana

    Moana chegou a Itajaí em julho de 2019. Para a escolha, foram mapeados alguns Estados. Tudo foi levado em conta, desde o bem-estar dos pais da cadela, pré-disposição e comportamento. À época, Amorim e o pai foram buscar a nova integrante em São Paulo. Depois de vários testes, ela foi a escolhida. 

    Desde então vive na casa do soldado. Quando chegou, mostrou ser a dona do quintal. Cheia de energia, correu atrás dos cães mais velhos, Ice e Maui. Tanta disposição não poderia ter outro resultado: Moana agora é oficialmente uma socorrista de quatro patas. 

    Moana e Amorim
    Moana e o tutor Amorim
    (Foto: )

    Cachorros socorristas

    No último ano, os binômios (dupla de bombeiro e cão) estiveram em 95 ocorrências de busca de pessoas desaparecidas, um importante reforço, já que os animais conseguem ter uma percepção de odor maior do que a dos humanos, indicando o caminho até as vítimas.

    A ideia é ter pelo menos um binômio em cada um dos 15 batalhões catarinenses. Atualmente há cães (entre certificados e em treinamento) nos batalhões de Curitibanos, Blumenau, Canoinhas, Lages, Criciúma, Itajaí, Xanxerê, Chapecó e São José.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas