nsc
    dc

    Segurança pública

    SC teve queda de 21% no número de homicídios em 2018, diz Atlas da Violência

    Estado somou 843 mortes há dois anos e manteve a segunda menor taxa de homicídios do país, atrás apenas de São Paulo

    27/08/2020 - 16h03 - Atualizada em: 27/08/2020 - 16h10

    Compartilhe

    Jean
    Por Jean Laurindo
    Taxa de homicídios em SC teve queda no último Atlas da Violência
    Taxa de homicídios em SC teve queda no último Atlas da Violência
    (Foto: )

    Santa Catarina teve queda de 21% no número de homicídios entre 2017 e 2018, aponta o Atlas da Violência 2020, divulgado nesta quinta-feira (27) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

    > Santa Catarina tem 7,2 milhões de habitantes, aponta IBGE

    O número de assassinatos passou de 1.066 em 2017 para 843 no ano seguinte. Com essa redução, o indicador voltou ao patamar próximo do que o Estado havia registrado em 2013. Fo a primeira queda depois de quatro anos de alta nas mortes segundo o levantamento. O Atlas da Violência traz dados até 2018 atualizados com base no sistema de mortalidade do Ministério da Saúde.

    Apesar da redução expressiva no último ano analisado pelo documento, o Estado ainda acumula uma alta de 5,1% no número de homicídios no período dos últimos 10 anos analisados. SC registrava 802 homicídios em 2008 e, uma década depois, somou 843 em 2018.

    Estado segue com a segunda menor taxa de homicídio do país

    Na comparação com os outros Estados do país, SC manteve pelo quinto ano consecutivo a segunda menor taxa de homicídios do país. O Estado registrou uma taxa de 11,9 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes, maior apenas que o de São Paulo (8,2 homicídios por 100 mil moradores). No ano anterior, SC tinha 15,2 assassinatos para o mesmo grupo populacional.

    A queda na taxa de homicídios registrada pelo Estado catarinense entre 2017 e 2018 foi a quarta maior do país, com diminuição de 21,8%. Apenas Acre (-24,4%), Espírito Santo (-22,6%) e Pernambuco (-22,9%) tiveram reduções maiores que o estado catarinense na taxa de homicídios por 100 mil habitantes. Todos esses Estados tiveram redução acima da média nacional nesse período de um ano, que foi de -12% no Brasil.

    O estudo também mostra redução no número de negros que foram vítimas de homicídios em SC. O número passou de 270 para 174 entre 2017 e 2018. Ainda assim, nos últimos 10 anos o número de negros assassinados no Estado aumentou 61%, conforme os dados do Atlas da Violência.

    SC teve queda de 25,2% nos homicídios de jovens

    O Atlas da Violência também traz dados sobre os homicídios de jovens no Brasil. Nesse quesito, SC também tem a segunda menor taxa de mortes de pessoas de 15 a 29 anos no país. A taxa do Estado no ano foi de 22,6 casos para cada 100 mil habitantes, abaixo apenas de São Paulo (13,8 mortes pelo mesmo grupo populacional de jovens). No Brasil, esse número chegou a 60 casos por 100 mil habitantes.

    O Estado também esteve entre as maiores quedas na taxa de homicídios de jovens, com redução de 25,2%. Alagoas, Minas Gerais, Espírito Santo e Pernambuco tiveram reduções maiores neste indicador. Em 10 anos (2008-2018), a queda nas mortes violentas de jovens de SC é de 3,2%.

    > PM de Santa Catarina fez relatório de inteligência sobre policiais antifascistas

    O Atlas da Violência traz análises de que a maior parte dos jovens assassinados no país é composta por homens, e que o cenário pode apontar para uma possível melhora. “Em que pese as taxas dos homicídios de jovens homens ainda serem muito elevadas no país, há alguns

    indicativos de uma melhora lenta e gradual desses índices”, apontam os pesquisadores em um trecho do relatório. Ainda assim, eles alertam que a melhora no último ano “não é suficiente para que se possa afirmar uma reversão nesse quadro histórico”.

    > Duas pessoas são mortas a tiros em 3ª noite de protestos antirracismo nos EUA

    Colunistas