nsc

publicidade

América Latina

Seis brasileiros são encontrados mortos em apartamento no Chile 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro adultos e duas crianças estavam no local

22/05/2019 - 22h17 - Atualizada em: 23/05/2019 - 12h00

Compartilhe

Por AFP
Informações preliminares indicam que aconteceu um vazamento de gás
Informações preliminares indicam que aconteceu um vazamento de gás
(Foto: )

Seis turistas brasileiros morreram nesta quarta-feira (22) em um apartamento de Santiago, no Chile, após terem inalado gás, supostamente monóxido de carbono, informou o comandante da Polícia da capital chilena. Entre as vítimas estão cinco catarinenses.

Os turistas estavam de férias e tinham alugado um apartamento no centro da cidade, onde sentiram um mal-estar físico. Após ser acionado, o cônsul brasileiro se dirigiu ao local acompanhado de efetivos da Polícia. Quando chegaram, tiveram que entrar à força no apartamento, onde encontraram os corpos.

— Pudemos constatar que havia seis pessoas falecidas, quatro adultos e dois menores, e que possivelmente sua morte teria sido provocada por inalação de gás — disse o comandante Rodrigo Soto à imprensa local.

O Corpo de Bombeiros evacuou o edifício. Depois, foram feitas medições no apartamento, onde foi constatada alta concentração de monóxido de carbono. O gás - que não tem cheiro - teria provocado a morte das pessoas.

Os seis turistas brasileiros estavam no Chile há uma semana e o apartamento foi alugado por meio de um aplicativo na internet. Quando a Polícia entrou no local, notou que todas as janelas estavam fechadas, o que teria provocado a grande concentração do gás, explicou Soto.

Os policiais isolaram as ruas vizinhas ao prédio e iniciaram uma investigação para confirmar as causas das mortes dos turistas, enquanto os bombeiros faziam buscas por possíveis vazamentos de gás no local.

Assine o NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais do DC, AN e Santa e aproveitar os descontos do Clube NSC. Acesse assinensc.com.br e faça sua assinatura.

Deixe seu comentário:

publicidade