nsc

Campeonato Brasileiro

Sem VAR, gol anulado tira a vitória do Figueirense contra o Cuiabá

Auxiliar marca impedimento de Marquinho nos acréscimos

08/09/2020 - 22h34 - Atualizada em: 08/09/2020 - 23h39

Compartilhe

Por Márcio Serafini
Marquinho, capitão do Figueirense, marcou o gol que seria da vitória em Cuiabá
Marquinho, capitão do Figueirense, comemora o gol que seria da vitória em Cuiabá, mas acabou anulado
(Foto: )

Os prognósticos eram os piores possíveis. Por tudo que cercou o Figueirense nos últimos dias, um empate diante do Cuiabá, na Arena Pantanal, não seria mau resultado. Pelo que se viu em campo, porém, o alvinegro teve mais razões para lamentar os dois pontos perdidos do que o ponto somado no Mato Grosso no 0 a 0 da noite desta terça-feira (8). Além de ter jogado melhor, reclama com razão de um gol anulado por impedimento aos 48 minutos do segundo tempo. Ah, se tivesse VAR na Série B...

O gol de Marquinho, no rebote do goleiro, faria justiça. O alvinegro chegou a ter mais posse de bola em parte do jogo – 56% no primeiro tempo, 50% a 50% ao final – e cobrou sete escanteios contra um. Também finalizou mais e criou as melhores, embora poucas, chances de gol. O lado positivo, sem dúvida, foi a evolução do time.

“Entraram com garrafas e armas de fogo”, diz Elano sobre invasão em treino do Figueirense

– Mereciamos a vitória. Vamos para casa com a consciência de termos feito um grande jogo. Infelizmente um erro nos tirou a vitória – afirmou o técnico Elano.

Em posições opostas na tabela quando o jogo começou, Cuiabá (G4) e Figueirense(Z4) quase se igualaram nos desfalques, praticamente meio time para cada lado, mas quem sentiu mais foram os donos da casa. Com isso, os times fizeram um jogo inverso ao que os 10 pontos de diferença na tabela sugeriam.

Rodrigo Faraco: Figueirense merecia a vitória que foi tirada no erro da arbitragem

Mais uma vez, faltou criação para o Figueira. Das oito tentativas de finalização do time catarinense no primeiro tempo, nenhuma acertou o gol. Já o Cuiabá se ressentia das assistências do meia Rafael Gava, lesionado. Dos desfalques, os goleiros João Carlos e Sidão foram os menos sentidos, pois Matheus Nogueira e Rodolfo Castro só assistiram à primeira etapa.

Polícia instaura inquérito sobre invasão ao treino do Figueirense

A primeira grande oportunidade veio aos seis do segundo tempo. Everton Galdino fez grande jogada pela direita e cruzou. Marquinho, na pequena área, se desequilibrou na hora de cabecear para a rede e mandou a bola para fora.

Aos 25, enfim Matheus Nogueira teve de trabalhar. Vitor Feijão invadiu a área e bateu rasteiro, mas em cima do goleiro. Depois, Gabriel Lima desperdiçou um contra-ataque claro ao se precipitar no chute.

O Cuiabá só foi assustar aos 38, de bola parada. O estreante Jean Patrick bateu por cima da barreira e a bola passou rente à trave de Rodolfo Castro.

Atacante Pedro Lucas deixa o Figueirense e retorna ao Internacional

Aos 48, o lance que impediu a vitória. Gabriel Lima arriscou de fora da área, com força. O goleiro Matheus Nogueira espalmou. Marquinho, que estava na mesma linha do zagueiro no momento do chute, correu ao encontro do rebote e mandou a bola para as redes. Mas a auxiliar mineira Fernanda Nândrea Gomes Antunes marcou impedimento.

É um lance difícil, de detalhe. A imagem parada dá a impressão de mesma linha, ou seja, condição legal. Foi essa a opinião da comentarista de arbitragem Nadine Basttos, no Sportv. Só uma medição milimétrica com a tecnologia do VAR poderia elucidar melhor o lance. Mas não há VAR na Série B.

No momento do chute, o pé de Marquinho (ao alto, na risca da área) parece estar na mesma linha do ombro de Rainer (camisa 2)
No momento do chute, o pé de Marquinho (ao alto, na risca da área) parece estar na mesma linha do ombro de Rainer (camisa 2)
(Foto: )

Depois de comandar o time quatro jogos em 12 dias desde sua chegada, enfim Elano terá um tempo para treinar: o Figueirense só volta a jogar dia 19, contra o América, em Belo Horizonte. Um luxo no calendário do futebol brasileiro espremido pela pandemia. Nos bastidores, tem reforço chegando: o meia-atacante Dudu, 21 anos, que pertence ao Vasco.

Nutricionista do Figueirense desabafa após invasão de treino; veja vídeo

​​Cuiabá 0

Matheus Nogueira, Hayner, Ednei, Anderson Conceição e Romário (Lucas Ramon); Leo (Ferrugem), Matheus Barbosa e Elvis (Jean Patrick); Felipe Ferreira (Yago), Jenison e Maxwell (Fabrício). Tècnico: Marcelo Chamusca

Figueirense 0

Rodolfo Castro; Lucas Carvalho (Elacio), Pereira, Alemão e Sanchez; Patrick, Matheus Neris (Elyeser) e Marquinho; Everton Galdino (Gabriel Lima), Gabriel Barbosa (Vitor Feijão) e Diego Gonçalves. Técnico: Elano Blumer

Arbitragem: Wanderson Alves de Sousa, auxiliado por Fernanda Nândrea Gomes Antunes e Luiz Antonio Barbosa (trio de MG).

Expulsão: Elyeser (F), aos 48min, no segundo tempo

Cartões amarelos: Ednei, Elvis (C), Pereira, Marquinho, Diego Gonçalves, Elácio (F)

Colunistas