Um homem foi denunciado pela 11ª Promotoria de Justiça da Comarca de Chapecó, Oeste de Santa Catarina, pela prática de estupro de vulnerável contra a enteada e outra criança. Ele também foi denunciado por armazenar no celular e computador mais de 10 mil arquivos com cenas de sexo explícito ou pornografia que envolviam crianças ou adolescentes.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Além dele, a sua companheira e mãe de uma das vítimas também foi denunciada pelo crime de estupro de vulnerável. De acordo com a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) ela teria conhecimento da violência contra a filha e não prestou nenhuma resistência, permitindo o crime, mesmo após o juízo da infância e juventude da comarca ter determinado o afastamento do acusado da residência familiar e da própria vítima.

A violência contra a enteada teriam começado em 2019, quando a vítima tinha apenas cinco anos de idade, e só pararam em novembro de 2023. O réu utilizava uma posição de autoridade sobre a criança, por ser seu padrasto, para praticar a violência sexual.

Já o crime contra a outra criança teria sido praticado em abril de 2023. Ela era vizinha e teria passado a noite na casa da família. Segundo o MPSC, o réu primeiro teria entrado com a criança no banheiro e abusado dela. Em outro momento, na mesma noite, teria entrado no quarto em que elas estavam, deitado entre as meninas e começado a violentar a vizinha.

Continua depois da publicidade

 O réu já tem outras condenações por crimes de violência sexual no Estado. Ele foi preso preventivamente no dia 13 de janeiro de 2024 e segue respondendo ao processo.  

Leia também

Dono de casa noturna em SC é investigado por estupro e cárcere privado de argentinas

Caso de tortura, cárcere e estupro que chocou Vale do Itajaí tem condenação na Justiça

Destaques do NSC Total