nsc
    dc

    Duas mortes confirmadas

    Tornado no Oeste de Santa Catarina pode ter atingido 250 km/h

    Confirmação de um tornado F2 se dá a partir da observação dos estragos observados

    21/04/2015 - 04h22 - Atualizada em: 21/04/2015 - 08h10

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Ao menos duas pessoas morreram e 60 ficaram feridas ? entre elas, duas crianças
    Ao menos duas pessoas morreram e 60 ficaram feridas ? entre elas, duas crianças
    (Foto: )

    Localizada a mais de 10 quilômetros do Centro de Xanxerê, a estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou ventos de 84 km/h na tarde desta segunda-feira. Os estragos registrados nas áreas urbanizadas, entretanto, levam meteorologistas a estimar uma velocidade bastante maior: estima-se que os ventos tenham chegado a até 250 km/h nos pontos mais críticos, derrubando casas e caracterizando um tornado F2.

    :: Tempestade deixa 191 mil unidades consumidoras sem luz

    :: Infográfico: Entenda a formação do tornado de Xanxerê

    Os números foram repassados pelo meteorologista do Grupo RBS, Leandro Puchalski. O tornado F2 - segundo a escala Fujita, que vai de F0 a F5 - é aquele que atinge de 181 km/h a 252 km/h. A Defesa Civil de SC confirma, preliminarmente, que trata-se de um evento isolado.

    Ao menos duas pessoas morreram e 60 ficaram feridas. Duas crianças sofreram múltiplos ferimentos e foram encaminhas para Chapecó em estado grave. Cerca de 1 mil pessoas estão desabrigadas, de acordo com a Defesa Civil.

    Em Xanxerê, os bairros de Tacca e dos Esportes foram os mais afetados pelo vendaval. Os bairros Colatto, São Jorge, Bortolon, Pinheiro e Vila União também foram atingidos. Mais de 500 casas foram atingidas. Já os Bombeiros falam que entre 30 e 40% das casas do município. Os ventos fortes também desabaram o Ginásio Municipal Ivo Sguissardi, o principal da região.

    Autoridades pedem doações de água, comida, colchões e agasalhos para os afetados pela tempestade, que devem ser entregues ao Corpo de Bombeiros de Xanxerê. As pessoas que tiveram as casas destruídas estão sendo encaminhadas para a escola Pequeno Príncipe.

    Mais notícias:

    :: "Escorei os pés no balcão e escorei a porta com as costas", relata morador

    :: Moradores relatam destruição pela cidade após tempestade

    Colunistas