nsc

    Transporte marítimo vai começar com dois catamarãs e passagem a R$ 9

    Governo acredita em implantação da ligação entre Floripa e São José ainda em 2018

    02/11/2018 - 08h34 - Atualizada em: 02/11/2018 - 12h15

    Compartilhe

    Por Redação CBN Diário

    O sonho do transporte marítimo regular de passageiros para a Ilha de Santa Catarina nunca esteve tão próximo. O otimismo é do presidente do Departamento de Transportes e Terminais (Deter), Fúlvio Brasil Rosar Neto, após vencer as principais etapas burocráticas: licença ambiental e cessão da área pela União

    — Estamos trabalhando para implantar até o final do ano. Se não conseguirmos, em janeiro ou fevereiro tem de estar na água — afirmou Fúlvio, em entrevista ao Direto da Redação desta sexta-feira.

    Hora de Santa Catarina: governo quer implantar transporte marítimo ainda em 2019

    O serviço deve começar com dois catamarãs com capacidade para 200 passageiros casa, ligando São José a Florianópolis. O valor estimado da passagem será de R$ 9. Na Ilha, o terminal de embarque será atrás do CentroSul. Em São José, na Ponta de Baixo. As embarcações serão as mesmas que operam na ligação entre Porto Alegre e Guaíba, fabricadas em Imbituba.

    — Temos de cumprir toda legislação. Estamos, passo a passo, vencendo barreiras. Uma luta diária contra a burocracia — destaca Rosar Neto. — A parte mais demorada nos já vencemos. A implantação da infraestrutura é rápida.

    Todo o investimento é privado. A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) autorizou empresa de Santa Catarina por, em até dois anos, fazer todos os aportes.

    Conforme a demanda, o número de embarcações pode ser ampliado. O projeto prevê ampliação posterior a Biguaçu e a Palhoça. Uma possível extensão para o Norte da Ilha dependeria da prefeitura de Florianópolis, já que o Deter responde apenas pelo transporte intermunicipal.

    Na quarta-feira, o Departamento do Patrimônio da União assinou o documento que cede pelos próximos 20 anos, um espaço próximo ao Centro Sul que permitirá a construção dos terminais, trapiches e espaços de atracação no aterro.

    Após a licença do instituto, o Deter poderá iniciar enfim a instalação do terminal, enquanto buscará a autorização da Marinha para a operação. As primeiras viagens deverão ser entre Florianópolis e São José, cidade que já conta com uma estrutura na Ponta de Baixo.

    Ouça a entrevista com o presidente do Deter, Fúlvio Brasil Rosar Neto

    Colunistas