nsc
    dc

    Eleições 2020

    TRE-SC quer 85% do eleitorado com cadastro biométrico até 2020

    Corte eleitoral lançou novo cronograma de biometria, que deverá atingir mais 1 milhão de pessoas

    08/05/2019 - 16h05

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    Moradores dos municípios onde o cadastro ainda não é obrigatório também podem procurar voluntariamente a Justiça Eleitoral para atualizar os dados
    Moradores dos municípios onde o cadastro ainda não é obrigatório também podem procurar voluntariamente a Justiça Eleitoral para atualizar os dados
    (Foto: )

    O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) lançou nesta quarta-feira (8) mais uma etapa do processo de cadastro biométrico no Estado. Desta vez, os eleitores de 122 cidades serão obrigados a atualizar os dados junto à Justiça Eleitoral. O objetivo é alcançar 85% de todo o eleitorado catarinense, até maio de 2020.

    Para isso, será preciso que cerca de 1 milhão de pessoas procurem os cartórios eleitorais nas cidades onde o cadastramento será obrigatório. Atualmente, o Estado possui 5.114.910 eleitores. Desses, 3.389.372 já estão aptos a votar pelo processo biométrico. Eles representam 66,2% do total.

    Além das 122 cidades que vão passar recadastramento obrigatório, os eleitores de outras 111 cidades podem procurar voluntariamente os cartórios eleitorais, para atualizar os dados. Nos outros 62 municípios, o processo já foi encerrado.

    Para o TRE-SC, é importante aumentar a abrangência da biometria neste ano, para que a Justiça Eleitoral em Santa Catarina consiga cumprir o prazo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determinou o encerramento de todo o processo até 2022.

    A lista das cidades onde o recadastramento está sendo realizado pode ser conferida no site do TRE-SC. A Corte também mantém uma página para quem quiser agendar o atendimento e evitar filas. Em caso de dúvidas, é possível entrar em contato pelo Disque-Eleitor, no telefone 0800-647-3888.

    Mais segurança

    O cadastro biométrico aumenta a segurança do processo eleitoral, segundo o TRE-SC. O principal motivo é que a urna só é liberada para o eleitor depois que ele põe a digital no equipamento, eliminando a possibilidade de que uma pessoa se passe por outra.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas