publicidade

Saúde
Navegue por

De olho no mosquito

Três municípios catarinenses estão em epidemia de dengue

Relatório divulgado nesta sexta-feira (5) pela Dive-SC, registrou 20.826 focos do mosquito em 182 municípios

05/07/2019 - 14h59 - Atualizada em: 05/07/2019 - 15h22

Compartilhe

Por Camila Levien

Em um intervalo de 22 dias, Santa Catarina registrou 206 casos autóctones de dengue e mais 18 importados. Neste período, Camboriú foi categorizada como cidade em situação de epidemia para a doença.

Ao todo, neste ano foram identificados 20.826 focos do mosquito, um aumento de 78,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A situação foi divulgada nesta sexta-feira (5) no relatório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC).

De acordo com a Dive/SC, para um local ser considerado em situação de epidemia a taxa de incidência da doença precisa ser maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

O Estado possui três cidades nesta condição: Itapema com 492 casos da doença contraídos no município e a maior taxa de incidência com 777,9 casos por 100 mil/habitantes, Camboriú vem logo atrás com 331 registros e 409,5 casos por 100 mil/habitantes e Porto Belo, possui 77 ocorrências e índice de 369,6 casos por 100 mil/habitantes.

O estado têm 93 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti, foram incluídas neste relatório as cidades Itá e Passos Maia. Em relação ao mesmo período de 2018, nota-se um aumento de 27,4% no número de municípios nessa condição. A Diretoria utiliza como critério a disseminação e manutenção dos focos do mosquito.

Listagem de municípios infestados de acordo com a Dive/SC
Listagem de municípios infestados de acordo com a Dive/SC
(Foto: )

Prevenção

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as Caixas d’água;

Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha ralos fechados e desentupidos;

Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

Retire a água acumulada em lajes;

Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

Ainda não é assinante? Faça sua assinatura do NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais dos jornais e aproveitar os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação