nsc
    dc

    DIETA 

    Uma dieta livre de produtos animais, pelo menos por um mês

    De acordo com os organizadores do Veganeiro, 750 mil pessoas de 192 países fizeram a promessa e cerca de metade desse total se comprometeu a manter a promessa durante todo o ano

    24/01/2020 - 15h04

    Compartilhe

    Por The New York Times
    Comida
    (Foto: )

    *Por Alyson Krueger

    Aquela seria sua última fatia de pizza com queijo, portanto ele comeu logo três durante o Réveillon. Na manhã seguinte, Danny Swift, um cientista de dados de 25 anos que vive em Manhattan, acordou de ressaca, mas determinado a se tornar vegano. "Eu estava começando a me sentir hipócrita por ser vegetariano por razões éticas, mas ainda sustentando indústrias que cometem abusos contra animais", afirmou Swift, que parou de comer carne quando tinha cinco anos.

    Depois de ler sobre uma campanha chamada Veganeiro, no Reddit, ele decidiu que era hora de abrir mão do queijo e de outros produtos de origem animal, pelo menos durante o mês de janeiro. Abram alas para Janeiro Seco (não beber álcool durante todo o mês) e Whole30 (não comer alimentos processados ou refinados), pois a Veganeiro, que convida as pessoas a eliminar a carne da dieta durante o primeiro mês do ano, se tornou a promessa mais popular deste ano.

    Inspirada pela "Movember" (que convida os homens a ficar de bigode em prol da saúde masculina), a campanha foi criada no Reino Unido em 2014 por Jane Land e Matthew Glover, um casal que se conheceu em um site de namoro para veganos. Os participantes que se comprometem a fazer a dieta vegana no site do projeto recebem receitas diárias, dicas e informações sobre como a dieta vegana beneficia os animais, o meio ambiente e nosso corpo.

    De acordo com os organizadores do Veganeiro, 750 mil pessoas de 192 países fizeram a promessa e cerca de metade desse total se comprometeu a manter a promessa durante todo o ano. Preparando-se para este ano, o grupo expandiu seus esforços nos Estados Unidos, contratando um diretor em Los Angeles e criando um site específico para o público norte-americano: us.veganuary.com.

    Estrelas de Hollywood como Joaquin Phoenix, Alicia Silverstone e Mayim Bialik emprestaram seu nome à causa. E, na virada do ano, Natalie Portman convidou seus 5,9 milhões de seguidores no Twitter a fazer a promessa. "Lute contra o caos climático usando seu garfo", afirmou.

    Redes de restaurantes também se uniram à campanha. A Just Salad, uma rede com sede em Nova York, incluiu no cardápio a salada "Veganuary", uma edição limitada que inclui tofu de gergelim orgânico, cogumelos grelhados e salada de repolho com cenoura e edamame. A Fresh Brothers, uma rede de pizzarias da Califórnia, oferece a opção de trocar o queijo tradicional por queijo vegano gratuitamente.

    Comida
    (Foto: )

    "As redes de fast-food estão correndo para oferecer os melhores hambúrgueres vegetarianos", afirmou David Coman-Hidy, presidente da Humane League, um grupo que busca acabar com os abusos cometidos contra animais criados para alimentação.

    Entretanto, os mais céticos argumentam que adotar uma dieta vegana por apenas um mês é uma medida superficial. Você pode optar por contar a verdade ou reciclar o lixo por apenas um dos 12 meses do ano? "As pessoas têm opiniões divergentes sobre a ideia de seguir a dieta por apenas 30 dias, e entendo as razões para a crítica", comentou Ewelina Augustin, de 25 anos, que é dona da loja virtual Vegan Warehouse, de Hoboken, em Nova Jersey.

    Porém os responsáveis pelo Veganeiro afirmam que a campanha foi criada para chegar a pessoas que ainda não estão prontas a se comprometer com uma dieta vegana o ano todo. "Sabemos que as maiores dificuldades para que alguém se torne vegano são a praticidade e o sabor", afirmou Wendy Matthews, a diretora do grupo nos EUA, em Los Angeles. "O Veganeiro existe para ajudar essas pessoas a descobrir alimentos deliciosos de origem vegetal e ver como é fácil seguir a dieta."

    Além disso, o projeto traz benefícios, mesmo que nem todos se tornem veganos. Joseph Poore, pesquisador ambiental da Universidade de Oxford, que estuda o impacto ambiental da produção de alimentos, estima que, se o Veganeiro conseguir que 350 mil pessoas deixem de comer carne e derivados de leite por um mês, as emissões de carbono serão reduzidas em 45 mil toneladas.

    Essa é uma ótima notícia para Heather Ramsdell, de 51 anos, diretora editorial do site The Spruce, com sede em Nova York. "Sou a pessoa que literalmente leva lixo compostado para os outros. Mas ainda como muita carne e derivados de leite. Trata-se de uma parte muito importante da minha dieta, mas não me sinto bem com isso devido ao impacto sobre o clima."

    Como desafio pessoal, ela e a filha de 13 anos, Eve Coleman, prometeram manter uma dieta vegana em janeiro. "Agora, tenho cinco novas receitas de almoço e jantar no meu repertório. É como se eu fosse ambidestra. O bacon deixou de ser minha única medida de felicidade", afirmou.

    Embora espere comer menos carne, Ramsdell não planeja continuar com a dieta vegana depois que o mês acabar. "Tenho tentado não sonhar com o dia em que vou voltar a comer essas coisas. Já estou morrendo de vontade de comer queijo. Quando acabar, vou comprar um pote de muçarela de búfala e comer como se fossem maçãs", completou.

    The New York Times Licensing Group – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas