O Ministério da Saúde anunciou que a vacinação contra a Covid-19 será incluída no Calendário Nacional de Vacinação a partir de 2024. A prioridade será crianças de 6 meses a menores de 5 anos e os grupos com maior risco de desenvolver as formas graves da doença. A inclusão já passou por avaliação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI).

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Todos os imunizantes têm eficácia e segurança comprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seguem orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde para aplicação. A ministra da Saúde, Nísia Trindade destaca:

— As vacinas passam por um rigoroso processo de estudo de qualidade antes de serem incorporadas ao SUS.

Na próxima semana, uma nova campanha será lançada pelo Ministério da Saúde na TV aberta nas redes sociais e em locais de grande circulação de pessoas em todo país para conscientizar a população sobre a importância da testagem, da vacinação e do tratamento.

Continua depois da publicidade

A situação da Covid-19 no Brasil

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgou nessa segunda-feira (30) o Boletim InfoGripe, informando que o Brasil segue a tendência mundial de oscilação de casos da Covid-19. Há crescimento de casos na população adulta do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.  O boletim apresenta informações referentes à semana epidemiológica 42, que corresponde ao período de 15 a 21 de outubro.

A importância da vacina

A vacina é a principal medida de combate ao vírus e às formas graves da doença. A secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel, reforça que a Covid-19 é uma doença imunoprevenível, ou seja, capaz de ser prevenida com a vacina:

— Há um conjunto de doenças definidas dessa forma, como o sarampo, a coqueluche, a influenza e a Covid-19 que também passou a integrar o Departamento do Programa Nacional de Imunizações. A Covid-19 é uma doença de constante monitoramento, requer atenção e por isso temos fortalecido as ações de prevenção por meio do Movimento Nacional da Vacinação — explicou.

Atualmente, o imunizante está disponível gratuitamente no SUS para toda a população acima de 6 meses de idade. Maiores de 18 anos, que já tomaram ao menos duas doses da vacina, devem receber uma dose de reforço da vacina bivalente. Pessoas que ainda não completaram o ciclo vacinal ou estão com alguma dose de reforço em atraso podem atualizar a caderneta nas unidades de saúde. 

Continua depois da publicidade

A vacinação contra a Covid-19 para crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade é constituída por três doses, com intervalo de 8 semanas entre a 1ª e a 2ª dose, e intervalo de 4 meses entre a 2ª e a 3ª dose.

*Sob supervisão de Andréa da Luz

Leia também

Ainda preciso tomar a vacina da Covid? Tire as suas dúvidas sobre a imunização

Destaques do NSC Total