nsc
hora_de_sc

Luto no esporte

Valdir Espinosa, campeão do mundo com o Grêmio, morre aos 72 anos 

Ex-técnico teve breve passagem pelo Metropolitano em 2016

27/02/2020 - 09h50 - Atualizada em: 27/02/2020 - 09h55

Compartilhe

Por Folhapress
Valdir Espinosa em sua passagem pelo Metropolitano, em 2016
Valdir Espinosa em sua passagem pelo Metropolitano, em 2016
(Foto: )

Morreu nesta quinta-feira (27) Valdir Espinosa, técnico campeão do mundo com o Grêmio em 1983, aos 72 anos de idade.

Atualmente, Espinosa trabalhava como coordenador de futebol do Botafogo, clube pelo qual conquistou o Campeonato Carioca de 1989. Ele passou por uma cirurgia no abdômen há duas semanas, foi internado novamente depois e morreu em decorrência de complicações da operação.

A informação da morte foi confirmada pelo vice-presidente de futebol do Botafogo, Ricardo Rotenberg.

Gaúcho de Porto Alegre, Valdir Espinosa teve uma curta carreira como jogador. Lateral-direito, começou sua trajetória em 1970, no Grêmio, e passou ainda por CSA, Esportivo-RS e Vitória antes de pendurar as chuteiras.

Sua maior contribuição ao futebol foi como treinador. Em 2016 teve breve passagem pelo Metropolitano, de Blumenau, mas foi desligado após sete jogos. No Grêmio, foi campeão da Libertadores e do Mundial em 1983, comandando o então jovem ponta-direita Renato Gaúcho.

Juntos, foram campeões também da Copa do Brasil de 2016. Na ocasião, Espinosa era o coordenador técnico tricolor, e Renato, o técnico.

Além das glórias no clube gaúcho e do Carioca conquistado com o Botafogo, que encerrou uma fila de 20 anos no clube carioca, conquistou estaduais também por Ceará, Londrina e Brasiliense.

Fora do país, trabalhou no futebol japonês, na Arábia Saudita e no Paraguai. No paraguaio Cerro Porteño, foi bicampeão nacional, ganhando o carinho dos torcedores do clube.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas