nsc

publicidade

História

Veja outros empresários de Joinville que morreram em acidentes aéreos 

Além da morte do dono e presidente do Grupo Busscar, outros grandes empresários da história joinvilense morreram em tragédias aérea 

30/10/2018 - 04h36 - Atualizada em: 30/10/2018 - 09h59

Compartilhe

Por Redação NSC
Acidente que vitimou Harold Nielson, dono do Grupo Busscar, ocorreu em 30 de outubro de 1998
Acidente que vitimou Harold Nielson, dono do Grupo Busscar, ocorreu em 30 de outubro de 1998
(Foto: )

O acidente aéreo que vitimou o dono e presidente do Grupo Busscar, Harold Nielson, e pai e filho, há exatos 20 anos, não foi o único envolvendo grandes empresários da história de Joinville. Antes dessa tragédia morreram em acidentes aéreos líderes dos grupos Tupy, Tigre e Disapel, alguns deles homenageados como nomes de prédios e espaços públicos joinvilenses:

Hans Dieter Schmidt

Em 23 de setembro de 1981 o então presidente do Grupo Tupy e o secretário de Indústria e Comércio do Estado, Lédio Martins, morreram depois que o avião em que eles estavam explodiu em um morro de Seara, no Meio Oeste Catarinense.

O mau tempo teria ajudado a derrubar a aeronave (modelo Navarro), que estava a caminho da inauguração de uma loja de departamentos em Concórdia. O acidente matou ainda um executivo gaúcho e outros dois tripulantes.

O nome do empresário batiza uma das principais ruas de acesso da BR-101 ao Distrito Industrial de Joinville, o Hospital Regional e a Escola Municipal Dr. Hans Dieter Schmidt, no Jardim Paraíso.

Presidente do conselho de administração do Grupo Hansen, Carlos Roberto Hansen, morreu em acidente em março de 1994
Presidente do conselho de administração do Grupo Hansen, Carlos Roberto Hansen, morreu em acidente em março de 1994
(Foto: )

Carlos Roberto Hansen

O empresário, conhecido na cidade como ‘Cau’, era o presidente do conselho de administração do Grupo Hansen e da Tigre Tubos e Conexões, quando morreu aos 43 anos em um acidente envolvendo o jato Cessna da empresa, no dia 24 de março de 1994.

O acidente aconteceu próximo de Bogotá, na Colômbia, e matou também outras duas pessoas: o engenheiro Eugênio Junqueira Neto e o copiloto Raimundo Matyniak. Ele nomeia o Instituto Carlos Roberto Hansen (ICRH) e o Centreventos Cau Hansen, em Joinville.

Cézar Faraco e Ézio Ivon Alquini

Os dois executivos, Cézar (supervisor de vendas da Multibrás) e Ézio (diretor comercial da rede de lojas paranaense Disapel) estavam a bordo de um avião particular que caiu na Serra do Mar, na divisa entre Santa Catarina e o Paraná.

A queda ocorreu em 6 de junho de 1997 e matou, além deles, o dono da rede varejista, Paulo Turkiewicz, o piloto Jairo Batista e o copiloto Luiz Carlos Borim. Uma forte turbulência teria sido a causa da tragédia com o Turbocommander.

Harold Nielson

O acidente ocorreu em 30 de outubro de 1998, por volta das 20h35. O avião bimotor Piper Cheyenne, prefixo PT-WHI, levava dois tripulantes e o empresário joinvilense Harold Nielson, dono da Busscar. Ele saiu do eroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, pouco depois das 18h30min de sexta-feira com destino à Joinville, mas a viagem foi interrompida cerca de duas horas mais tarde a apenas quatro quilômetros do aeroporto de Joinville. Saiba mais sobre o acidente de Harold Nielson.

Fonte: A Notícia e Arquivo Histórico de Joinville

Leia mais:

Há 20 anos: relembre acidente aéreo que matou o dono da Busscar a quatro quilômetros do aeroporto de Joinville

Casal lembra como ajudou socorristas a chegarem ao local da queda do avião de Harold Nielson

Morador na praia da Vigorelli recorda o momento da queda do avião do dono da Busscar

Deixe seu comentário:

publicidade