nsc

publicidade

Susto

Vigilância Ambiental alerta sobre a presença de escorpiões em Joinville

Dentre os grupos mais vulneráveis às picadas estão os trabalhadores da construção civil e crianças

14/09/2018 - 05h52 - Atualizada em: 14/09/2018 - 12h55

Compartilhe

Por Redação NSC
Escorpião-amarelo, com ampla distribuição pelo país, representa a espécie de maior preocupação
Escorpião-amarelo, com ampla distribuição pelo país, representa a espécie de maior preocupação
(Foto: )

A Vigilância Ambiental alerta sobre a presença de escorpiões em Joinville. Segundo o Secretaria da Saúde houve um aumento no número de ocorrências em todas as regiões da cidade.

O escorpião-amarelo, com ampla distribuição em todas as regiões do país, é a espécie que provoca maior preocupação, por causa do potencial de gravidade do envenenamento. Além disso, a fácil adaptação ao meio urbano e a reprodução que independe da presença de outro indivíduo da espécie também contribui com a incidência dos casos.

Os animais são representantes da classe dos aracnídeos, predominantes nas zonas tropicais e subtropicais, com maior incidência nos meses mais quentes e úmidos.

Leia mais notícias sobre Joinville e região.

Grupos de risco

Os grupos mais vulneráveis são os trabalhadores da construção civil, crianças e pessoas que permanecem maiores períodos dentro de casa ou nos arredores, como quintais. Também estão sujeitos os trabalhadores de madeireiras, transportadoras e distribuidoras de hortifrutigranjeiros, por manusear objetos e alimentos onde os escorpiões podem estar alojados.

Sintomas

A maioria dos acidentes não é grave, e o quadro local tem início rápido e duração limitada. Os adultos apresentam dor imediata, vermelhidão e inchaço leve por acúmulo de líquido, piloereção (pelos em pé) e sudorese (suor) localizadas, cujo tratamento é sintomático.

Já crianças com menos de sete anos apresentam maior risco de alterações sistêmicas nas picadas por escorpião-amarelo, que podem levar a casos graves. O indicado é sempre procurar um hospital, já que é preciso tratamento específico em tempo adequado.

Como prevenir acidentes:

Mantenha jardins e quintais limpos. Evite o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e materiais de construção nas proximidades das casas;

— Evite folhagens densas (plantas ornamentais, trepadeiras, arbusto, bananeiras e similares) junto a paredes e muros das casas. Manter a grama aparada;

— Limpe periodicamente os terrenos baldios vizinhos, pelo menos numa faixa de um a dois metros junto às casas;

— Como muitos destes animais apresentam hábitos noturnos, a entrada nas casas pode ser evitada vedando-se as soleiras das portas e janelas quando começar a escurecer;

Deixe seu comentário:

publicidade