Todo apreciador de um bom vinho já se deparou com uma bebida que custava um valor exorbitante. Mas quais fatores os fazem valer uma fortuna? Será o terroir, o cultivo da uva, o tempo de fabricação ou será que alguém simplesmente colocou um preço na etiqueta e disse: “Vai que cola”?

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Pegue suas taças que a seguir vamos listar os vinhos mais caros do mundo, os seus valores e o que faz eles serem considerados essas obras-primas entre os amantes de vinhos.

A base de dados que utilizamos foi retirada do www.wine-searcher.com/ (última atualização em setembro de 2023), um site onde pode-se encontrar diversos vinhos vendidos nos mais variados locais do mundo.

Confira os 5 vinhos mais caros do mundo

Domaine Leroy Musigny Grand Cru

O líder da lista não poderia ser outro senão um francês, né?

Continua depois da publicidade

Direto da região borgonhesa de Chambolle-Musigny, a família de vinhos Domaine Leroy controla grande parte da produção do local, sendo considerados os melhores do mundo principalmente pela fama e longo histórico adquirido. E fica de olho que eles já já voltam para a lista. O Musigny Grand Cru é fabricado em Côte de Nuits, que fica no coração da região vinícola da Borgonha.

Seu valor médio dentro dos varejistas cadastrados no Wine Searcher é de R$ 48.616. Porém, o vinho pode chegar ao valor máximo de R$ 141.738. Nada mal, não é menos?

Domaine de La Romanée-Conti Romanée-Conti Grand Cru

O segundo da lista é mais um da região de Côte de Nuits, sendo fabricado na épica vinícola de Romanée-Conti.

Esse vinho é extremamente único, o que justifica seu valor. A vinícola utiliza vinhedos exclusivos para a produção das suas bebidas. Estamos falando de um vinho produzido em um local especial na região considerada o coração da produção no mundo. É ou não é de encher deixar qualquer cheio de vontade de degustar?

Continua depois da publicidade

O Conti Romanée-Conti Grand Cru tem um valor médio entre os varejistas de R$ 27.053, podendo alcançar o máximo de R$ 161,324.

Leroy Domaine d’Auvenay Chevalier

Como falamos, a família Leroy Domaine iria voltar para a lista. Na verdade, eles vão dominar os vinhos mais caros do mundo com produção recorrente. É uma família de bebidas realmente muito dominante.

A bebida é original de Montrachet, na região de Côte de Beaune, um dos locais mais importantes do mundo quando o assunto é produção de vinhos brancos.

Tanto sua localização privilegiada, como o tratamento das uvas do tipo Chardonnay, fazem da experiência de beber esse vinho um momento de puro privilégio e elegância.

Continua depois da publicidade

O valor médio vendido atualmente desse vinho é de R$ 26.709, podendo alcançar o máximo de R$ 68.187.

Leroy Domaine d’Auvenay Bâtard

Esse vinho é muito parecido com o anterior, sendo produzido na mesma região e também sendo branco. A grande diferença entre os dois está no vinhedo. Enquanto o anterior é de origem de Chevalier, o mais bem avaliado da região, o esse é de Bâtard, o maior vinhedo da região. Claro, que é exclusividade e qualidade de primeira linha.

Seu valor médio comercializado é de R$ 25.451 e chegando ao valor máximo de R$ 93.333.

Leroy Domaine d’Auvenay Criots-Bâtard

Para finalizar com a dominância francesa da família Leroy Domaine, mais um vinho branco da região de Montrachet, também sendo do mesmo vinhedo do anterior. Saborizado, leve e perfeito para qualquer ocasião. Um dos vinhos mais elegantes para ser degustado em todo o mundo. A média dos varejistas para comercializar o vinho é de R$ 21.016 e o preço máximo cadastrado foi de R$ 45.599.

Caso queira conferir a lista completa com os 50 vinhos mais caros no site Wine-Searcher, basta acessar o link.

Leia também

Como o gengibre virou “queridinho” contra doenças inflamatórias

Por que chamamos os animais de “pets”?

Destaques do NSC Total