publicidade

Política
Navegue por

Política

Votação para diminuir vagas de vereadores em Chapecó é adiada pela quarta vez

Projeto diminui de 21 para 17 vagas em Chapecó

25/06/2019 - 18h40 - Atualizada em: 25/06/2019 - 19h10

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona

Foi adiado pela quarta vez a votação do projeto de lei proposto pelo vereador Neuri Mantelli (PRB) que propõe a redução do número de vagas no legislativo chapecoense a partir da próxima eleição, de 21 para 17 cadeiras. O vereador justificou a medida prevendo uma economia de R$ 1 milhão por ano com a redução. Ele argumenta que esse dinheiro poderia ser aplicado em saúde ou outras demandas da população.

O projeto foi apresentado ainda em maio. Mas primeiro foi o vereador Adão Teodoro (PL), que pediu vistas do projeto. De acordo com a procuradora jurídica do legislativo, Caroline Hoffmann, cada vereador pode fazer uma vez esse pedido, que tem prazo de três dias.

Orides Antunes (PSD) e Cleber Ceccon (PT) e, na segunda-feira, foi a vez de Carlinhos Nogueira (PSD) tomar a mesma atitude, numa ação que parece orquestrada pelos vereadores contrários para não votar o assunto.

Nogueira disse que tomou a medida por sugestão dos colegas, mas que um outro projeto está sendo elaborado para reduzir despesas sem diminuir a representatividade.

- Sou favorável à redução de gastos mas não de representatividade. Nossa cidade é grande e, com a redução de vagas, os líderes comunitários como é o meu caso não terão chance de eleição em relação ao pessoal do Centro. Estamos conversando vários vereadores para apresentar nos próximos dias uma proposta de redução de gastos com diárias, aluguel e verba de gabinete, que é de R$ 45 mil pro ano – disse Nogueira.

Ele também argumentou que se fosse votado o projeto não seria aprovado, pois necessitaria de 14 votos e, ele calcula que há pelo menos 12 votos contrários, sobrando no máximo nove para aprovação. Nogueira acredita que na próxima sessão, na quinta-feira, um outro vereador deve pedir vistas e o projeto ficará para agosto, pois há o recesso de julho.

A vereadora Marcilei Vignatti (PT) também apresentou recentemente um projeto de redução do duodécimo que é repassado do município para o legislativo, que é de 6%, para 4%. No ano passado a Câmara tinha uma previsão de gastar R$ 15,2 milhões e gastou R$ 11,4 milhões, devolvendo R$ 3,8 milhões.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó, Cidnei Barozzi, disse que essa questão do adiamento da votação já está cansando, mas a entidade continua defendendo redução de gastos.

- Nós apresentamos juntamente com o Observatório Social um documento com sugestão de algumas práticas para reduzir despesas. A redução de vagas é uma delas. O presidente do legislativo, Ildo Antonini (DEM) é favorável à diminuição de despesas. Queremos o diálogo nesse sentido, não o confronto – disse Barozzi.

O próprio Antonini já manifestou ser favorável à redução de vagas no legislativo. Outras cidades, como Itajaí, aprovou a redução de 21 para 17 vereadores a partir de 2020.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação