nsc
nsc

Opinião

"Blitz do sossego" precisa ser ampliada para outras regiões de Florianópolis

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
04/05/2021 - 07h38
Blitz do sossego feita na Beira-Mar Norte, na última sexta-feira
Blitz do sossego feita na Beira-Mar Norte, na última sexta-feira (Foto: Divulgação/GMF)

O barulho descontrolado causado por alterações em escapamento de motos ganhou um sinal de controle em Florianópolis. A "Blitz do sossego" feita pela Guarda Municipal (GMF) nas últimas semanas trouxe um alento ao moradores incomodados com a perturbação causada pelas irregularidades nos veículos. Agora a expectativa é para que as ações possam se espalhar aos demais pontos da Capital. Os primeiros trabalhos foram na Beira-Mar Norte.

Em Itajaí, influenciadora digital registra acidente de moto por acaso ao fazer vídeo de “look do dia"

As reclamações são constantes, em diferentes locais da cidade. Moradores lembram que o barulho alto das motocicletas com escapamento alterado, sejam elas esportivas ou de passeio, causam problemas para crianças, idosos e autistas, por exemplo. Por isso a necessidade de fiscalizações constantes.

“Reivindicamos que a polícia pare de pegar a gente como se fosse bandido”, diz motoboy

Não se trata de uma represália aos motociclistas, ainda mais que a maioria depende dos veículos para sustentar a própria família. Mas há regras, e elas precisam ser cumpridas. Na blitz mais recente, na última sexta-feira, um decibelímetro foi usado pelos fiscais da Guarda Municipal. A promessa do órgão é que as fiscalizações vão continuar.

MP busca integração de ações em Joinville contra barulho excessivo, inclusive de motos

No caso do flagrante nas blitze, os condutores têm a moto guinchada, além de multa de R$ 195,23 e os valores do guincho e diária do pátio de recolhimento do veículo.

Discussão social

A perturbação do sossego é um dos principais problemas urbanos brasileiros. Mas precisa ser encarado pelo municípios pontualmente. A fiscalização é fundamental para que se mostre que Florianópolis não é uma terra sem lei, em que o barulho predomina de diferentes formas.

Depois disso, campanhas de orientação ajudam para que não só no caso das motos, a perturbação de sossego deixe de prejudicar moradores e até mesmo a rotina de trabalho dos órgãos de fiscalização. Policiais militares e agentes da GMF são chamados constantemente a intervir em ocorrências causadas por barulho, quando poderiam estar concentrados em prevenção e trabalho ostensivo contra a criminalidade.

Leia mais:

Baleia dá show na Ilha do Campeche, em Florianópolis

Vacinação de pessoas com 60 anos ou mais contra Covid em Florianópolis será por mês de aniversário

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas