nsc
    nsc

    Duas propostas

    Estudos de concessão preveem mudanças na rodoviária de Florianópolis

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    26/04/2021 - 08h18
    Projetos preveem que guichês de passagem seja transferidos para o segundo andar do Rita Maria
    Projetos preveem que guichês de passagem seja transferidos para o segundo andar do Rita Maria (Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom)

    Duas empresas apresentaram estudos para a concessão do Terminal Rita Maria, a rodoviária de Florianópolis. Pelos projetos, haverá alterações na estrutura como a mudança do espaço de guichês para venda de passagens do primeiro para a o segundo andar e investimento em sustentabilidade. Até junho, o governo de Santa Catarina escolherá qual proposta das que foram apresentadas será levada em consideração para a montagem do edital. A expectativa é que até dezembro de 2021 o documento seja lançado.

    Rita Maria, Madre Benvenuta e Antonieta de Barros: quem são as mulheres dos locais de Florianópolis

    Os estudos entregues à SCPar e à Secretaria de Infraestrutura foram feitos pela Sinart, da Bahia, e pela Vallya, de São Paulo. A empresa baiana opera mais de 35 estações rodoviárias no país, enquanto os paulistas desenvolvem projetos para aeroportos da União. Com base nos projetos de ambas é que o Estado fará uma espécie de pré-edital até junho.

    Rodoviária de Florianópolis será concedida à iniciativa privada em 2021

    Depois começam novas etapas como a consulta pública, audiências públicas e o envio da minuta ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC). Somente após isso é que o edital será oficialmente publicado para a concessão. Ainda não há definição de pontos importantes como o tempo de concessão e valor de outorga. Isso tudo passa a ser analisado agora pela comissão formada dentro do governo do Estado.

    Quatro empresas vão fazer estudos para concessão da Rodoviária de Florianópolis

    Apesar as diferenças nos estudos, eles trazem em comum a troca do local dos guichês e a questão da sustentabilidade. A tendência é que haja o reaproveitamento da água das chuvas ou investimento em energia solar. Tudo isso, após avaliado e confirmado, deve ser colocado dentro do edital para que a empresa vencedora da concessão promova as alterações.

    Quatro empresas haviam, inicialmente, se manifestado para apresentar os estudos do Terminal Rita. No entanto, apenas duas confirmaram os projetos.

    Mais colunistas

      Mais colunistas