publicidade

Navegue por
Ânderson

Reforma da ponte

Membros da CPI da Hercílio Luz receberam doação de empresa envolvida na obra

Compartilhe

Por Ânderson Silva
12/03/2019 - 08h49 - Atualizada em: 12/03/2019 - 09h48
Foto: Diorgenes Pandini
Foto: Diorgenes Pandini

Integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Ponte Hercílio Luz na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) receberam doações de campanha em 2010 e 2014 de uma das empresas investigadas e denunciadas pelo Ministério Público (MP) em contratos entre 2006 e 2015 por suspeitas de irregularidades na obra de recuperação da estrutura. Segundo informação do colega da NSC TV Raphael Faraco divulgada no Bom Dia SC desta terça-feira, Marcos Vieira (PSDB), presidente da CPI, foi beneficiado com R$ 50 mil nas eleições de 2010 da empresa Prosul. Além disso, a coluna apurou que o deputado João Amin (PP) também recebeu doação da empreiteira, neste caso R$ 75 mil, no pleito de 2014. As contribuições de campanha, nos dois casos, são legais.

Vieira foi escolhido presidente da CPI mesmo não tendo assinado o requerimento para a instalação da comissão. Mas, como foi indicado pelo seu partido, passou a integrar o grupo de investigação. Os dados das doações recebidas estão disponíveis no sistema de divulgação da prestação de contas dos candidatos no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em resposta ao programa Bom Dia SC, Marcos Vieira diz que não vê nenhum desconforto com a situação, uma vez que foi eleito pelos demais membros para presidir a CPI da Ponte Hercílio Luz, cabendo a ele como tal, garantir o trâmite correto de acordo com o regimento da Casa: "Quem deve produzir e apresentar provas à CPI é o relator, no caso o Deputado Bruno Souza", afirmou.

João Amin, por nota e pelo telefone, disse que "o fato jamais inibiria suas ações na condição de parlamentar, sempre pautadas pela legalidade, transparência, isonomia e respeito aos recursos públicos - o que se comprova pela aprovação de todas as prestações de contas das campanhas das quais participei". Em contato com a coluna, o parlamentar lembrou que é filho do ex-governador Esperidião Amin e que se por ventura surgir algo relativo ao período de governo do atual senador, o que ele acredita que não ocorrerá, "doa a quem doer, vai ter que pagar".

A CPI terá nesta terça-feira a sua primeira reunião de trabalho. Será às 9h, na Sala de Comissões da Alesc.

Deixe seu comentário:

Ânderson Silva

Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação