nsc
nsc

Opinião

O limite do apoio da bancada federal de SC a Bolsonaro

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
14/08/2021 - 06h28
Presidente Jair Bolsonaro esteve em Joinville no dia 6 de agosto
Presidente Jair Bolsonaro esteve em Joinville no dia 6 de agosto (Foto: Alan Santos/PR)

Os projetos do governo federal na Câmara dos Deputados são aclamados pela bancada federal catarinense. Excluindo-se o deputado federal Pedro Uczai (PT), que por motivos óbvios vota contra, os demais 15 parlamentares têm se mostrados fiéis ao presidente da República, Jair Bolsonaro. E isso vale até mesmo para a questões mais polêmicas como foi o voto impresso e a privatização dos Correios. Em ambas o 15 a 1 de SC foi garantido para o governo.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

As demonstrações de fidelidade catarinense a Bolsonaro, entretanto, caminham para um divisor de águas. Com dois anos e sete meses, o governo federal pouco ou quase nada fez por SC. Os deputados federais passam a ser cobrados por eleitores e entidades civis organizadas.

Mesmo que a alta popularidade bolsonarista em terras catarinenses possa atrair os parlamentares, eles estão que escolher em breve entre permanerem abraçados ao presidente da República ou adotarem uma postura mais incisiva sobre a falta de recursos federais para o Estado.

Na última semana, o deputado federal Celso Maldaner (MDB) reproduziu nas redes sociais um texto do colega Pedro Machado, em que ele afirma que o casamento de Bolsonaro com SC somente tem sido bom negócio para o presidente. Maldaner ainda escreveu: “O presidente Bolsonaro precisa retribuir todo apoio e carinho que o catarinense lhe concede”.

O emedebista tem reduto eleitoral no Oeste catarinense, região que sofre com a BR-163 em estado crítico. Ele foi o primeiro a demonstrar que o apoio irrestrito ao governo federal está chegando no limite. O bolsonarismo é importante quando se trata de SC, mas é o voto de eleitor que pesará mais em 2022.

O dia D

A audiência no Senado para a definição da alocação dos recursos estaduais nas rodovias federais de SC tende a ser o capítulo final de um impasse que se arrasta a semanas. A ida do governador Carlos Moisés da Silva ao encontro em Brasília mostra que o governo de SC considera o momento fundamental. Caso o governo federal se mantenha na ideia de usar o dinheiro da BR-470 no lotes 3 e 4, a transferência do dinheiro pode cair por terra.

Leia também:

Nova feira no Centro de Florianópolis tem primeira edição confirmada

Depois dos professores, novo salário da segurança pública ganha força na Alesc

Santa Catarina pode ter nova polícia em breve

Reitor eleito do IFSC é nomeado quase dois anos após votação

Mansão e sala comercial em Florianópolis apreendidas na Lava-Jato vão a leilão

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas