nsc
nsc

Decreto atualizado

Proibição de festas residenciais em Florianópolis gera reações

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
21/12/2020 - 08h52 - Atualizada em: 21/12/2020 - 19h53
Decreto atualizado contra o coronavírus trouxe reações em Florianópolis
Decreto atualizado contra o coronavírus trouxe reações em Florianópolis (Foto: Diorgenes Pandini, NSC Total)

A atualização do decreto contra o coronavírus em Florianópolis gerou reações nas redes sociais. Um dos trechos do documento publicado no sábado (19) proíbe festas residenciais. O texto permite, inclusive, a entrada de autoridades nos espaços para conter a aglomeração. A medida, segundo a prefeitura, está em vigor desde maio deste ano, mas também consta no decreto atualizado do final de semana. As reações nas redes sociais estão vinculadas com a programação de Natal e Ano-Novo das famílias, mas não há no regramento referência a isso. Diante das cobranças, o prefeito da Capital, Gean Loureiro, se manifestou nas redes sociais.

> Coronavírus: Entenda o que pode e o que não pode em SC a partir desta segunda

> Florianópolis atualiza decreto com restrições pelo coronavírus; veja detalhes

O texto do decreto diz: "Ficam proibidas as festas residenciais, estando o descumprimento desta determinação sujeito, em caso de flagrante delito, ao ingresso de autoridades competentes em residência para verificação, nos termos art. 5, XI, da Constituição Federal e do art. 268 do Código Penal". Os dispositivos jurídicos citados nas determinação fazem referência a dois regramentos diferentes.

> Entidades criticam novas regras contra o coronavírus em SC e dizem que não foram consultadas pelo governo

> Vacina contra a Covid-19: quem pode ou não tomar

No caso da Constituição Federal, o artigo 5, inciso XI, afirma: "a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial". Já o artigo 268 do Código Penal trata de "infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa".

> SC chega a 4,7 mil mortes por covid-19; ocupação das UTIs é de 87%

Em sua manifestação nas redes sociais, o prefeito de Florianópolis lembra da vigência do decreto desde maio, e explica: "À época, algumas pessoas estavam alugando casas para promover festas clandestinas e fugir das fiscalizações". Segundo Gean, "não há proibição de encontros familiares de final de ano, embora por todos os dados que todos sabem em relação à pandemia, desaconselho".

Leia também

> Vacina da Pfizer e BioNTech contra coronavírus é aprovada pela agência reguladora da Europa

> Dagmara Spautz: Há duas SC, a que aparece no mapa de risco e a do ‘liberou-geral’

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas