O placar momentâneo de dois votos a zero contra a cassação do mandato do senador por Santa Catarina Jorge Seif (PL) sinaliza que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC) seguirá o sentimento esperado nos bastidores. Ao analisar uma situação semelhante, mas que envolveu o ex-prefeito de Brusque Ari Vequi (MDB), o órgão rejeitou o pedido de cassação por sete votos a zero. Depois, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, acabou derrubando a decisão inicial e afastando Vequi do cargo. No caso de Seif, o TRE-SC indica que seguirá pelo mesmo caminho.

Continua depois da publicidade

Caso Seif seja cassado e nova eleição ocorra, quem o PL lançará para o Senado em SC

TRE-SC adia julgamento de pedido de cassação do senador catarinense Jorge Seif

Os votos da relator, a desembargadora Maria do Rocio, e, em menor proporção, do juiz Otávio Minatto encontram uma alternativa também já ventilada nos bastidores. O tribunal catarinense deve apontar que houve mesmo irregularidades na relação entre Seif e o empresário Luciano Hang. Entretanto, os juízes não entendem que isto seja motivo para cassação, o que exigiria maior gravidade, na visão deles.

Como era de se esperar, Seif vai tendo no TRE-SC o caminho mais tranquilo para se livrar da cassação. Porém, estará em Brasília a maior barreira. Assim como citado pela relatora do caso do senador, o TSE já cassou o prefeito de Brusque por situação semelhante. Os bastidores indicam que o órgão superior deve impor mais dificuldade a Seif justamente por isto.

Continua depois da publicidade

O julgamento desta quinta-feira (26) foi apenas o primeiro capítulo de um roteiro que deve se estender para 2024, quando a tramitação será no TSE. Antes disso, porém, em 7 de novembro o TRE-SC ainda dará o passo consolidado das etapas já esperadas, que tendem a ser favoráveis ao senador catarinense.

Leia também:

Cinco pontos para entender voto de relatora contra cassação de Jorge Seif

Destaques do NSC Total