nsc
nsc

Fiscalização

Uso do bafômetro avança em Florianópolis

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
07/10/2019 - 03h15
(Foto: PRF / Divulgação)

Demorou para Florianópolis ver o avanço da Lei Seca. As blitze dos últimos meses mostram uma mudança de concepção nas três esferas: municipal, estadual e federal. As polícias e a Guarda passaram a atuar com o equipamento em diferentes ruas e rodovias, algo antes pouco visto na Capital catarinense.

Os resultados são visíveis a cada final de semana. Pelos dados divulgados nos balanços, o número de motoristas flagrados embriagados assusta, mas revela o quanto seria importante ter esta ação como rotina há anos. Neste ano, segundo dados da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), somente nas estradas estaduais de SC, foram 321 presos pelo crime. A média de mais de um caso por dia.

Mais do que uma resposta aos condutores, as fiscalizações frequentes de embriaguez mostram que a cidade e o Estado não são lenientes para este crime, que mata pessoas e destrói famílias.

Além disso, as blitze conseguem mudar o comportamento dos motoristas. Ao invés de dirigirem embriagados, passam a adaptar suas saídas com transportes alternativos ou a definição do “motorista da rodada”. A fiscalização salva vidas e altera o hábito das pessoas.

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas