nsc

publicidade

Política

Mais ideias, menos caciques

Compartilhe

Carolina
Por Carolina Bahia
16/11/2019 - 07h00 - Atualizada em: 16/11/2019 - 08h39
Bolsonaro e Araújo
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A política brasileira não precisa de um novo partido. Só na Câmara dos Deputados, há representações de 30 legendas, ampliando as articulações de varejo.

Depois de usar o PSL como barriga de aluguel, o presidente Jair Bolsonaro resolveu criar um partido porque quer ter o comando da sigla, o que inclui tempo de TV, fundo partidário e eleitoral e a escolha dos candidatos que assumirão as cabeças das chapas. É o velho caciquismo.

Aliados do presidente, incluindo do PSL de Santa Catarina, argumentarão que não havia mais clima em razão dos laranjais produzidos nas últimas eleições. Uma desculpa que agrada a militância e tenta resguardar a bandeira do combate à corrupção.

Na prática, não é bem assim.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi denunciado pelo laranjal de Minas e não foi afastado. O senador Flávio Bolsonaro é investigado pelas rachadinhas na Assembleia do Rio de Janeiro. Trocar de partido não terá um efeito alvejante.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC​

​Acesse as últimas notícias do NSC Total

Deixe seu comentário:

Carolina Bahia

Colunista

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

siga Carolina Bahia

Carolina Bahia

Colunista

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

siga Carolina Bahia

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade