O governador Carlos Moisés (Republicanos) visitou nesta segunda-feira (2) a comunidade ucraniana de Mafra, no Planalto Norte, e foi recepcionado como manda a tradição: com pão e sal. Na simbologia cultivada pelos descendentes dos imigrantes da Ucrânia que vivem no Planalto Norte, o pão é a vida. O sal, a expectativa de que ela tenha tempero e sabor.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias do DC via Telegram

Moisés visitou o monumento ao Brasão da Ucrânia e esteve na Igreja Católica Ucraniana do Rito Bizantino. Lécia Maria Labas, presidente da Associação Ucrâniana Catarinense Ivan Frankó e vice-presidente da representação central Ucraniana Brasileira, falou da interlocução do Estado com o Itamaraty para prestar apoio ao povo ucraniano.

— Agradecemos ao governador pelas tratativas de apoio e por levar as nossas pautas ao Itamaraty, devido à agressão que está sofrendo hoje a soberania ucraniana. E também as tratativas junto à secretaria de Assuntos Internacionais sobre a eventual acolhida aos refugiados e ajuda humanitária.

Labas pediu que o governo inclua no calendário oficial do Estado as comemorações de aniversário dos 130 anos da Imigração Ucraniana no Brasil, que seria realizada em 2021 e foi adiada devido à pandemia. O Dia Estadual da Imigração Ucraniana é comemorado em SC no dia 24 de agosto, em referência à Independência da Ucrânia.

Continua depois da publicidade

Além de representantes da associação, Moisés esteve com descendentes dos imigrantes e com o grupo Folclore Ucraniano Vesná. O governador manifestou solidariedade à Ucrânia.

> Rússia x Ucrânia: especialista explica o conflito e o impacto em Santa Catarina

— Toda solidariedade a esse povo tão querido que escolheu nosso Estado para viver, construir família, fazer história, contribuindo para o desenvolvimento dos locais. E, neste momento difícil pelo qual estão passando, oferecemos toda atenção e apoio. percebemos claramente que quando o diálogo e a diplomacia deixam de existir resulta na guerra que não constrói nada. por isso, infelizmente, vemos nossos irmãos ucranianos sofrendo. isso faz com que reafirmemos o nosso compromisso de manter e trabalhar sempre pela paz — disse o governador.

Santa Catarina tem mais de 30 comunidades de descendentes de ucranianos – especialmente no Planalto Norte nas cidades de Papanduva, Santa Terezinha, Mafra, Itaiópolis, Canoinhas, Porto União, Três Barras e São Bento do Sul.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz – NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Continua depois da publicidade

Leia também

Políticos estão “em busca de milagre” no Whatsapp, diz especialista

Moisés pede a Ciro Nogueira aplicação da lei sobre transição energética do carvão

Polícia de SC recebe pistolas austríacas iguais às do FBI

Destaques do NSC Total