nsc
nsc

Análise

Julio Garcia mostrou que capital político não foi abalado por denúncias

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
06/10/2020 - 17h20 - Atualizada em: 06/10/2020 - 17h21
Deputado Julio Garcia
Deputado Julio Garcia (Foto: Daniel Conzi, Alesc)

Em um longo pronunciamento em que quebrou o silêncio sobre as acusações feitas a ele pelo Ministério Público Federal (MPF), o presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), mostrou o quanto vale um bom capital político – exatamente o que falta ao governador Carlos Moisés (PSL) em sua cruzada contra os processos de impeachment.

> Operação Alcatraz: entenda a denúncia contra Julio Garcia, presidente da Alesc

Julio Garcia foi incisivo em defender-se e não economizou palavras para se dizer injustiçado. Afirmou ser vítima de “exposição vexatória e gratuita”, falou em “espetáculo”, em “acusação indevida e inconsequente”, e em “chicana processual. Disse que as acusações do MPF são “ilações” sem provas.

Mas foram os comentários que sucederam o discurso, nas falas de 14 deputados, que deixaram clara a influência e a solidez das relações políticas de Julio Garcia. Foram eloquentes elogios à trajetória do presidente da Alesc e contundentes declarações de apoio. Até mesmo a líder do governo, deputada Paulinha (PDT), apressou-se em declarar confiança em Julio Garcia. 

O assunto, que parecia ter sido evitado na Alesc ao longo das últimas semanas, ganhou novo tom com as manifestações dos parlamentes. Maurício Eskudlark (PL) chegou a justificar o silêncio dos deputados, dizendo que era uma reação à “perplexidade” com o que considera serem investidas injustas contra o presidente do Legislativo.

A demonstração de forças vista nesta terça-feira na Assembleia Legislativa é prova do sólido capital político de Julio Garcia - algo que não se constrói do dia para a noite. Em última medida, sela a figura do presidente da Alesc como a antítese do governo, isolado por apostar na antipolítica.

Tecnicamente, no entanto, o movimento dos deputados não interfere na situação de Julio Garcia. Diferente do processo de impeachment, em que o patrimônio político e o lastro eleitoral são pontos centrais de defesa, o caso do presidente da Alesc depende agora, unicamente, do que decidirá a Justiça.

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas